Notícias » Internacional

Airbnb planeja abrigar 20.000 refugiados afegãos em todo o mundo

Segundo o CEO Brian Chesky, as estadias serão custeadas pela empresa

Luíza Feniar Migliosi Publicado em 24/08/2021, às 10h45

mulher afegã fora de sua casa em 2004 no campo de refugiados Babrak Garden em Cabul, Afeganistão.
mulher afegã fora de sua casa em 2004 no campo de refugiados Babrak Garden em Cabul, Afeganistão. - Getty Images

A empresa Airbnb está planejando começar a abrigar temporariamente 20.000 refugiados afegãos em todo o mundo de forma gratuita, segundo o CEO Brian Chesky, de acordo com o portal de notícias NBC News.

Os refugiados serão alojados em propriedades listadas na plataforma do Airbnb, twittou Chesky. As estadias serão custeadas pela empresa, mas ele não especificou quanto planeja gastar no compromisso ou por quanto tempo as autoridades planejam hospedar os refugiados.

“O deslocamento e reassentamento de refugiados afegãos nos EUA e em outros lugares é uma das maiores crises humanitárias de nosso tempo”, disse Chesky. “Sentimos a responsabilidade de dar um passo à frente.”

Brian incentivou os anfitriões do Airbnb a “entrar em contato” com ele se quiserem hospedar uma família de refugiados e prometeu colocá-los em contato com as pessoas certas na empresa. “Espero que isso inspire outros líderes empresariais a fazer o mesmo. Não há tempo a perder”, acrescentou.

Empresas de todos os âmbitos e tamanhos correm para mostrar seu apoio às vítimas em tempos de uma grande crise. É uma oportunidade de ser caridoso e impulsionar as relações públicas no processo.

A Airbnb, avaliada em cerca de US$ 92 bilhões, costuma se oferecer para cobrir o custo de hospedagem em emergências. Segundo a empresa, 75.000 pessoas encontraram um lugar para ficar em um momento de crise desde 2012.