Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Arqueologia

Antiga moeda bizantina com 'rosto de Jesus' é descoberta na Noruega

O objeto de ouro foi encontrado por um detector de metais nas montanhas do município de Vestre Slidre, no sul da Noruega; confira!

Redação Publicado em 06/12/2023, às 08h14

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Fotos das duas faces da moeda descoberta na Noruega - Divulgação/Martine Kaspersen, Innlandet Fylkeskommune
Fotos das duas faces da moeda descoberta na Noruega - Divulgação/Martine Kaspersen, Innlandet Fylkeskommune

Recentemente, um detector de metais descobriu nas montanhas de Vestre Slidre, um município localizado ao sul da Noruega, uma moeda de ouro com mais de mil anos, relativa ao antigo Império Bizantino. Conhecida como "histamenon nomisma", este tipo de moeda foi introduzida por volta do ano 960 d.C.

Conforme descrito em declaração, uma das faces da moeda representa Jesus Cristo segurando uma Bíblia, enquanto a outra conta com imagens de Basílio II e Constantino VII, dois irmãos que governaram o Império Bizantino.

Face da moeda de ouro com os dois irmãos imperadores bizantinos / Crédito: Divulgação/Martine Kaspersen, Innlandet Fylkeskommune

Vale mencionar que o Império Bizantino, que vigorou entre os anos 330 e 1453 d.C., tinha como capital a cidade de Constantinopla, conhecida como uma "nova Roma" após a conquista de povos germânicos. Ele se originou do antigo e glorioso Império Romano, dividido em duas partes no ano 395, pelo imperador Teodósio.

O que Teodósio fez foi, em uma tentativa de controlar a crise e evidente declínio do Império Romano, dividir a poderosa nação em duas: o Império Romano do Ocidente, com a capital em Milão — que colapsou definitivamente em 476 d.C. — o Império Romano do Oriente, também chamado Império Bizantino, que durou quase 11 séculos e ruiu no ano 1453, com a invasão dos povos turco-otomanos.

De acordo com o Live Science, arqueólogos acreditam que a moeda foi cunhada entre 977 e 1025, período do reinado dos irmãos Basílio II e Constantino VII, com base em três linhas pontilhadas que circundam a borda da moeda, sendo este um elemento de design comum do período.

Além disso, também existem duas inscrições na moeda: "Jesus Cristo, Rei dos que reinam", escrita em latim, e "Basílio e Constantino, imperadores dos romanos", em grego, de acordo com o comunicado.

+ Medicina bizantina: Guerreiro descoberto na Grécia teve mandíbula costurada com fios de ouro

Como chegou lá?

Um mistério sobre a moeda que os arqueólogos ainda não descobriram é sobre como ela teria chegado até as montanhas da Noruega, considerando-se que o Império Bizantino existiu onde hoje fica a Turquia. No entanto, especulam que ela pode ter pertencido a Harald Hardrada, ou Harald III, que foi rei da Noruega de 1045 a 1066, pois antes de conquistar a coroa, serviu como guarda do imperador bizantino — na época, era comum que os guardas saqueassem o palácio após a morte de um imperador.

Possivelmente, a moeda serviu como dote para que Harald se casasse com a filha do príncipe Yaroslav — também conhecido como "Yaroslav, o Sábio" —, de Kiev, onde hoje fica a atual Ucrânia. No entanto, a história vivida pela moeda ainda é incerta, e ela pode também simplesmente ter servido como objeto de troca em comércio.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!