Notícias » Brasil

Após falas antissemitas, racistas e homofóbicas, pastor é preso no Rio de Janeiro

Tupirani da Hora Lore já afirmou que judeus são “vermes” e chamou integrantes de outra congregação de “prostitutas”

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Wallacy Ferrari Publicado em 24/02/2022, às 14h38

Tupirani da Hora Lore, gravado no momento de sua prisão
Tupirani da Hora Lore, gravado no momento de sua prisão - Divulgação / TV Globo

Líder religioso da igreja pentecostal Geração Jesus Cristo, na capital carioca, Tupirani da Hora Lore foi capturado pela Polícia Federal (PF) na manhã desta quinta-feira, 24. A prisão foi parte de uma ação policial, chamada ‘Rófesh’, liberdade em hebraico, que procurava a liderança de um grupo radical antissemita.

Lore já havia, diversas vezes, produzido e expressado discurso de ódio contra pessoas judias, afirmando, por exemplo, que judeus "deveriam ser envergonhados como foram na 2ª Guerra Mundial”, em 2021, fala pela qual foi apreendido pela polícia.

Além disso, o pastor já é conhecido por seus discursos e pregações racistas, negacionistas e homofóbicas. Tupirani já usou sua posição como líder religioso para expressar suas opiniões contra o voto.

Antes de ser preso na quinta, Tupirani da Hora Lore publicou um vídeo no qual desafia a PF, anunciando: ”Manda o delegado vir aqui pedir a minha retratação. Ele não é homem para isso, eu sou vencedor do sistema, ninguém me detém". Agora, sob custódia, o indivíduo irá responder por racismo, ameaça, incitação e apologia ao crime.

Usando uma camiseta com os dizeres “Não sou vacinado.”, o líder religioso pode enfrentar uma pena de até 26 anos. Porém, esta não é a primeira vez em que Tupirani foi preso por suas declarações: em 2009, já havia sido condenado por promover intolerância religiosa e chamar o povo judeu de “vermes”.

Junto a isso, o pastor também expressou suas visões preconceituosas em agosto do ano passado, em resposta à pregadora Karla Cordeiro que pediu desculpas por decretar: ”Para de querer ficar postando coisa de gente preta, de gay, para! Posta palavra de Deus que transforma vidas. Vira crente, se transforma, se converta!”.

Enquanto Cordeiro retratou as falas, Tupirani da Hora Lore expressou sua discordância em relação às desculpas e xingou a pregadora, sua igreja, além de desrespeitar pessoas negras e a comunidade LGBTQ+. As informações são do portal UOL.

A igreja de Jesus Cristo não levanta placa de filho da put* negro nenhum, não levanta placa de filho da put* de político, não levanta placa de filho da put* de veado. A igreja de Jesus Cristo só levanta a sua própria placa, porr*. Se vocês pedem desculpa do que falam dentro da igreja para um babaca de um delegado, sabe o que você é Karla Cordeiro? Uma put*", afirmou o homem.