Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Nasa

Astrônomos identificam duas novas 'Super Terras" em descoberta animadora

Cientista do MIT fez declarações animadoras diante da descoberta

Redação Publicado em 22/06/2022, às 11h41

Ilustração da estrela anã vermelha e das duas superterras - Divulgação/Mark Garlick/Jeffers et al.
Ilustração da estrela anã vermelha e das duas superterras - Divulgação/Mark Garlick/Jeffers et al.

Por meio dos telescópios especiais da ‘NASA’, astrônomos identificaram dois planetas rochosos e que, assim como a Terra, estão orbitando de maneira mais distante o Sol, numa distância equivalente a 33 anos-luz de distância do nosso planeta. A informação foi dada pelo portal de notícias britânico Daily Star, na última terça-feira, 21.

Eles, que também orbitam uma estrela vermelha anã, foram nomeados como HD 260655 b e HD 260655 c. Acabaram sendo chamados de "Super Terras" por se parecerem terrestres como o nosso planeta, todavia, em maior tamanho.

O corpo celeste chamado de “b” 1,2 vezes maior que a Terra e possui temperatura estimada de 435ºC, enquanto o "c" é 1,5 vezes maior e tem uma temperatura que pode chegar aos 284ºC.

Descoberta empolgante

Em declaração dada ao portal inglês repercutida pelo ‘UOL’, Michelle Kunimoto, do Instituto Kavli de Astrofísica e Pesquisa Espacial do MIT, explicou que os planetas são perfeitos para estudos aprofundados.

"Ambos os planetas neste sistema são considerados entre os melhores alvos para o estudo atmosférico devido ao brilho de sua estrela. Existe uma atmosfera rica em voláteis ao redor desses planetas? E há sinais de água ou espécies baseadas em carbono?", disse a profissional do MIT.

Além disso, ela não conteve a empolgação e falou mais abertamente sobre possíveis descobertas que podem surgir a partir da novidade vinda dos satélites.

Esses planetas são fantásticos bancos de teste para essas explorações. Cada planeta que orbita uma estrela terá uma pequena atração gravitacional sobre sua estrela. O que estamos procurando é qualquer movimento leve dessa estrela que possa indicar que um objeto de massa planetária está puxando-a", concluiu.