Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Protestos

Ativistas colam as mãos em obra de 200 anos no Reino Unido

Protestos contra novas licenças de petróleo e gás estão ocorrendo desde a semana passada

Luisa Alves, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 05/07/2022, às 14h56

Ativistas do grupo 'Just Stop Oil' no National Gallery - Reprodução/Vídeo
Ativistas do grupo 'Just Stop Oil' no National Gallery - Reprodução/Vídeo

Com as mãos coladas em obra de John Constable feita há 200 anos, ativistas do Reino Unido protestaram contra as novas licenças de petróleo e gás. O ato correu no National Gallery, em Londres, nessa segunda-feira, 4.

Dois membros do grupo ambientalista 'Just Stop Oil', colaram suas mãos na moldura depois de colarem sobre a pintura, uma nova versão da obra, representando como o petróleo destruirá o campo.

O quadro de John Constable, intitulado "The Hay Wain", representa uma paisagem e foi pintada pelo artista há 200 anos. Um ativista presente no ato, Eben Lazarus, denunciou a condição de pessoas afetadas pela crise climática, como informa o G1.

“Cobrimos o Hay Wain com uma versão que ilustra o impacto de nosso vício em combustíveis fósseis em nosso campo. A pintura é uma parte importante de nossa herança, mas não é mais importante do que os 3,5 bilhões de homens, mulheres e crianças já em perigo por causa da crise climática”, disse Eben.

"Novas versões de obras"

Os ativistas também protestaram em outras cidades, como Glasgow e Manchester, na semana passada. Além de se colarem à importantes obras, como na cópia de ' A última Ceia' de Leonardo DiVinci, eles também pintaram escritos com sprays, como "No new oil" (Sem novo óleo, em tradução livre), nas paredes do museu. 

No protesto mais recente, nessa segunda-feira, os manifestantes do grupo 'Just Stop Oil', colaram sobre a "The Hay Wain", uma "nova versão" nomeada 'uma visão apocalíptica do futuro'. Segundo os ativistas, os atos só terão fim após o encerramento das novas licenças de petróleo e gás pelo governo.