Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasileira desaparecida

Adolescente brasileira está desaparecida há mais de 15 dias nos EUA

Manuela Cohen, que vive em Washington com os pais, saiu de casa no último dia 20 levando consigo apenas um caderno de desenhos

por Giovanna Gomes

ggomes@caras.com.br

Publicado em 06/12/2023, às 07h44

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
A jovem Manuela Cohen - Divulgação/Redes sociais
A jovem Manuela Cohen - Divulgação/Redes sociais

Manuela Keller Cohen, uma jovem brasileira de 17 anos de idade está desaparecida há mais de 15 dias em Washington, Estados Unidos, onde ela vive com sua família. O caso está sendo investigado pela polícia local.

A adolescente deixou sua residência no dia 20 de novembro à tarde, comunicando a seu pai, Bruno Barreto, motorista de aplicativo de 40 anos, que retornaria por volta das 18h30 (horário local). Ela não informou seu destino nem se estava acompanhada e saiu sem celular e a chave de casa, levando consigo apenas um caderno utilizado para desenhar.

Diante da demora no retorno, por volta das 20h30 os pais de Manuela dirigiram-se à polícia para relatar o desaparecimento. Eles destacaram que a filha costumava informá-los sobre sua localização e nunca havia fugido de casa. A adolescente, que está cursando o último ano do ensino médio online nos EUA, não apresentou comportamento suspeito antes do desaparecimento.

Mensagem suspeita

No dia seguinte ao sumiço, Sofia Keller, mãe de Manuela, recebeu uma mensagem de texto em português, supostamente da filha, indicando que ela estaria em Baltimore, uma cidade a uma hora de Washington, na companhia de amigos. Manuela teria mencionado que "precisava de um tempo" e que retornaria em breve. Os pais, no entanto, afirmaram que a adolescente não possuía amigos ou conhecidos na cidade vizinha.

Como destacou o portal de notícias UOL, ao receber a mensagem, a família acionou novamente as autoridades. Uma policial de plantão entrou em contato pelo número que enviou a mensagem, que não foi possível rastrear, e Manuela teria dito que não gostaria de conversar por telefone. Após insistência da agente, a jovem enviou uma selfie sorrindo.

Os pais explicaram à fonte que Manuela enfrenta problemas psicológicos, mas estava sob tratamento, tomando medicamentos e realizando terapia semanalmente. A família reside em Washington D.C. desde o final de 2017, devido à transferência do trabalho da mãe de Manuela.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!