Notícias » Europa

Com 7 mil pessoas a bordo, cruzeiro fica preso em costa italiana após suspeita de coronavírus

A vítima seria uma mulher de 54 anos, que veio de Hong Kong e passava férias no navio

Daniela Bazi Publicado em 30/01/2020, às 14h55

Cruzeiro Costa Esmeralda permanece atracado em porto na Itália
Cruzeiro Costa Esmeralda permanece atracado em porto na Itália - Getty Images

De acordo com as autoridades de Saúde da cidade de Civitavecchia, próxima de Roma, um cruzeiro da agência Costa Esmeralda estaria ancorado no porto com cerca de 7 mil pessoas presas dentro do navio após a suspeita de um caso de coronavírus.

A paciente seria uma senhora de 54 anos, nacional de Hong Kong, que está abordo junto de seu marido. Ambos se encontram em um quarto isolado dentro do hospital do navio, e estão sendo acompanhados por especialistas em doenças contagiosas do Instituto Lazzaro Spallanzani.

Segundo um porta-voz do centro de saúde da cidade, “O ministério da Saúde nos alertou sobre possíveis casos e enviou três médicos a bordo para realizar os exames prévios”. Entretanto, os resultados desses primeiros exames teriam sido negativos ao novo vírus.

O navio conta com 6 mil passageiros e mil tripulantes / Crédito: Getty Images

 

Ernesto Tedesco, prefeito da cidade, pediu que todos os passageiros não deixem a embarcação até a divulgação dos resultados. O comandante da Guarda Costeira Vincenzo Leone, disse que “Estamos aguardando para conhecer o resultado das verificações ainda em curso, mas tudo que precisava ser feito foi feito. A situação está sob controle, e não há motivos para preocupações abordo”.

Os resultados finais devem ser liberados em um período de 48 horas, todavia, ainda não existem informações se o casal está isolado durante esse tempo na embarcação, ou se o cruzeiro irá permanecer em Civitavecchia.

Giuseppe Conte, primeiro-ministro italiano, revelou que o governo ira tomar todas as medidas caso necessário. “Não estamos alarmados, mas, sim, absolutamente vigilantes e cautelosos na condução desse caso”, comentou.