Notícias » Arqueologia

Com aquecimento global, artefatos históricos estão em perigo

Mais de vinte mil relíquias na Inglaterra podem sofrer com as mudanças climáticas

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 25/01/2022, às 18h00

Turfa inglesa onde foi encontrado o Homem de Lindow
Turfa inglesa onde foi encontrado o Homem de Lindow - Wikimedia Commons / Roger Gittins

Em 1984, na região de Cheshire na Inglaterra, arqueólogos encontraram o Homem de Lindow, um corpo da Idade do Ferro tão bem preservado que os especialistas conseguiram identificar qual foi sua última refeição. O que manteve este homem nestas condições foram o clima e a natureza da turfa do Reino Unido.

No entanto, com as mudanças climáticas e o aquecimento global, este ambiente em que inúmeros artefatos arqueológicos foram encontrados está em perigo, devido ao fato de que a alteração de temperatura, principalmente, está secando os pântanos que fazem parte da região da turfa, ou ‘peat’, como é chamada em inglês.

De acordo com a cobertura do portal de notícias Sky News, mais de 22 mil relíquias ainda não encontradas podem ser completamente destruídas devido a esta mudança, apagando vários momentos da história humana no Reino Unido.

Em conversa com o site citado, a especialista Doutora Gillian Taylor reforçou a conexão entre o aquecimento global e a arqueologia, explicando a urgência de atenção a este perigo, que pode atingir inúmeros outros ambientes ao redor do mundo.

O impacto das alterações climáticas em cima de sítios arqueológicos necessita de atenção urgente para impedir a perda e a destruição de nossos Patrimônios Mundiais", narrou a especialista.

"Entender o impacto das condições climáticas atuais nos sítios, especialmente em um nível molecular, é um desafio, mas importante para garantir o desenvolvimento de estratégias para controlar e mitigar desafios ambientais no futuro”, afirmou, por fim.