Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Colômbia

Comparado a Pablo Escobar, líder de cartel da Colômbia é condenado a 45 anos de prisão

Conhecido como Otoniel, o líder do cartel colombiano, que se assumiu culpado, foi preso em 2021

Redação Publicado em 08/08/2023, às 19h27 - Atualizado às 19h39

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Dairo Antonio Usuga David quando foi preso, junto a oficiais - Reprodução / Presidência da República da Colômbia
Dairo Antonio Usuga David quando foi preso, junto a oficiais - Reprodução / Presidência da República da Colômbia

O chefe proeminente de um influente grupo criminoso colombiano, que se assumiu culpado por acusações de tráfico de drogas nos Estados Unidos, recebeu uma sentença de 45 anos de prisão nesta terça-feira, proferida por uma juíza do distrito de Brooklyn.

A magistrada Dora Irizarry destacou que Dairo Antonio Usuga David, também conhecido como “Otoniel”, demonstrou um nível de atividade criminal considerado “mais prolífico” do que o infame chefe do tráfico, Pablo Escobar.

Ao pronunciar a sentença, a juíza Irizarry ressaltou a “extraordinária” natureza das ações de Otoniel, que conseguiu exportar quase 100 toneladas de cocaína para os Estados Unidos enquanto liderava o cartel Clan del Golfo. A defesa alegou que os promotores exageraram ao compararOtoniel, de 51 anos, a Escobar, o antigo líder do cartel de Medellín, morto em 1993 em uma operação conjunta entre Estados Unidos e Colômbia.

Houve muitos traficantes que foram mais prolíficos do que Pablo Escobar, incluindo seu cliente", relatou Irizarry aos advogados de Otoniel, segundo a Reuters, via UOL.

Prisão e extradição

A sentença de 45 anos era o pleito da Procuradoria dos Estados Unidos no distrito de Brooklyn, e põe fim a uma longa trajetória criminal de Otoniel. O líder criminoso foi capturado pelas forças armadas colombianas próximo à fronteira com o Panamá em outubro de 2021.

Sua extradição para os Estados Unidos ocorreu em maio de 2022, e ele se declarou culpado em janeiro de 2023. Antes de ouvir sua sentença, Otoniel utilizou a oportunidade para pedir desculpas às vítimas de suas atividades ilegais e também aos governos dos Estados Unidos e da Colômbia perante o tribunal de justiça.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!