Notícias » Religião

Em meio a escândalos de abusos, Papa Francisco nega renúncia de cardeal alemão

Em carta, o líder católico afirmou que "toda a Igreja está em crise" em decorrência dos escândalos

Redação Publicado em 11/06/2021, às 14h36

Fotografia do Papa, em 2019
Fotografia do Papa, em 2019 - Getty Images

De acordo com informações publicadas pelo portal Vatican News, em carta, Papa Francisco nega pedido de renúncia do cardeal alemão Reinhard Marx. No mês passado, Marx, havia escrito uma correspondência ao líder católico, na qual explicava as razões pelas quais gostaria de renunciar ao cargo.

Na ocasião, o homem pediu ao papa para deixar a condução da Arquidiocese da Alemanha em decorrência dos escândalos de abuso sexual no país envolvendo a igreja, esperando que sua saída trouxesse um novo começo para a instituição religiosa.

Na carta — o religioso que nunca foi acusado de ter cometido abusos, ou, ter dado cobertura para tais atos — escreveu ao Santo Padre: "Eu preciso compartilhar da responsabilidade pela catástrofe dos abusos sexuais cometidos por membros da Igreja nas últimas décadas”.

Em resposta, Francisco reiterou que “toda a Igreja está em crise” em decorrência dos escândalos sexuais cometidos por clérigos e que é necessário assumir essa crise.

“Obrigado por sua coragem cristã que não tem medo de ser humilhado diante da tremenda realidade do pecado. Assumir a crise, pessoal e comunitariamente, é o único caminho frutuoso", escreveu o líder católico.

Contudo, o Papa negou o pedido do cardeal e pediu para que ele seguisse no caminho de luta contra os abusos sexuais envolvendo a Igreja Católica:

"E exatamente esta é minha resposta, querido irmão: continue fazendo como você sugeriu, mas como arcebispo de Munique e Freising", escreveu Francisco.


Sobre o Papa Francisco

Em 13 de março de 2013, Jorge Mario Bergoglio foi eleito papa, após a sucessão de Bento XVI. A decisão foi tomada no segundo dia do conclave, e Bergoglio escolheu o nome de Francisco, em referência a Francisco de Assis.

Nascido em 17 de dezembro de 1936, em Buenos Aires, na Argentina, Francisco foi o primeiro jesuíta a ser eleito papa e primeiro papa do continente americano.

Ao longo de sua trajetória, Francisco já reuniu uma série de frases consideradas polêmicas e controversas.