Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Escultura

Escultura de 2.500 anos descoberta na Alemanha estaria ligada à crença de ‘poderes mágicos’

Pesquisadores explicam como a estatueta com olhos, nariz, lábios e queixo poderia ter representado uma divindade da água na Idade do Bronze

Redação Publicado em 18/07/2022, às 11h35

Estatueta encontrada na Alemanha - Divulgação/BLfD
Estatueta encontrada na Alemanha - Divulgação/BLfD

Uma escultura de cerâmica que remonta ao período Hallstatt, na Idade do Bronze, entre os séculos 6 e 8 a.C., foi descoberta durante uma escavação arqueológica na borda da planície de Unkenbach, no distrito alemão de Schweinfurt, na Baviera.

Para os pesquisadores envolvidos na descoberta, os colonos que viveram na região entre 2.500 e 2.800 anos atrás provavelmente acreditavam que a estatueta de 19 centímetros possuía “poderes mágicos”, representando uma divindade da água.

"É concebível que as pessoas naquela época considerassem esse local como um lugar sagrado, e que a pequena estatueta lhes servisse como uma oferenda ritual ou mesmo atribuísse poderes mágicos a ela", disse o curador geral do Escritório do Estado da Baviera para a Preservação de Monumentos, Mathias Pfeil.

Feito de barro, o artefato mostra claramente como foram modelados aspectos faciais como as órbitas dos olhos, nariz, lábios e queixo — além de buracos nas laterais da cabeça que podem ser um capuz decorado com anéis de metal, um adorno associado ao sexo feminino.

Stefanie Berg, responsável pela conservação dos monumentos no instituto, explicou que a acredita que a escultura era dez centímetros mais alta na época em que foi modelada e que, por não ter sido encontrada por inteiro, não é possível saber com certeza se trata-se de um homem ou uma mulher sendo retratado.

Importância e mais descobertas

“As figuras desse tipo feitas de barro são conhecidas, por exemplo, da região ocidental do Mar Negro e datam do 5º milênio a.C. No entanto, os outros achados apontam para uma datação muito mais recente da estatueta", contou Berg.

Segundo a revista Galileu, além da curiosa estatueta, os arqueólogos também encontraram fragmentos de vidro quebrado, ferramentas feitas a partir de ossos e um carimbo de barro durante as escavações realizadas na Baviera.