Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Espanha: Brasileiro é detido após pichar símbolos de grupo terrorista em parede de igreja

O jovem brasileiro reproduziu lemas e símbolos do grupo terrorista ETA em muros da cidade espanhola

Redação Publicado em 22/11/2023, às 18h37

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Imagem de uma viatura de polícia da Espanha - Licença Creative Commons via Wikimedia Commons
Imagem de uma viatura de polícia da Espanha - Licença Creative Commons via Wikimedia Commons

Na última sexta-feira, 17, um brasileirofoi detido pela polícia espanhola, acusado de pichar símbolos em apoio ao grupo terrorista ETA na igreja de Sodupe, cidade localizada a cerca de meia hora de Bilbao. Segundo as autoridades, o autor do crime tem os mesmos símbolos tatuados em seu corpo. 

A Euskadi Ta Askatasuna (ETA), ou Pátria Basca e Liberdade, em português, é uma organização conhecida por sua ação violenta em prol do Movimento de Libertação Nacional da região, que deseja se tornar independente do país.

Segundo a Polícia Nacional e Local de Sodupe, o brasileiro responderá por acusações de ameaças, danos e crimes contra o patrimônio histórico. A investigação contra ele iniciou-se quando os residentes locais perceberam que, tanto a igreja, tida como interesse histórico-cultural pelo Governo Basco, quanto ruas da região, haviam sido grafitadas. 

Os dizeres “borroka militarra” (luta militar), “herriaren indarra” (a força do povo), “bietan jarrai” (continuar em ambos) e a frase “voltamos ao ataque”, em espanhol, foram algumas das frases encontradas no local. O símbolo e a sigla do grupo também foram pichados no local, conforme repercutido pelo O Globo. 

Outros detalhes

A investigação policial revelou que o responsável pelo crime está em situação irregular na Espanha e possui várias tatuagens, a maioria delas contendo frases e símbolos associados a grupos terroristas. Todos os partidos representados na Câmara Municipal de Gueñes (PNV, PSE e Elkarrekin Podemos), com exceção do Bildu, expressaram sua condenação ao ataque.

O ETA, estabelecido em 1959, se autodefine como uma entidade paramilitar separatista, embora seja rotulado como grupo terrorista por governos como os da Espanha, França, Reino Unido, Estados Unidos e União Europeia. Desde o primeiro incidente fatal em 1968 relacionado ao ETA, o movimento foi associado a 829 mortes, milhares de feridos e dezenas de sequestros. Estima-se que mais de 400 membros do grupo estejam detidos em diferentes nações europeias.

Criado por dissidentes do Partido Nacionalista Basco, o ETA tem como símbolo uma serpente entrelaçada em um machado e reivindica territórios no nordeste da Espanha e sudoeste da França. Seu lema, “Bietan jarrai”, traduzido como “continuar em ambos”, reflete a combinação de sua luta política e militar.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!