Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Arqueologia

Estátua grega perdida há 2 mil anos é desenterrada na Turquia

Estátua escavada, chamada "Musas Dançantes", foi esculpida pelo famoso escultor Philiskos e ficou perdida por quase 22 séculos; confira!

Redação Publicado em 18/12/2023, às 10h53 - Atualizado em 21/12/2023, às 11h22

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Fotografia da escultura de Philiskos sendo limpa por arqueólogos - Reprodução/X/@_Stratonikeia_
Fotografia da escultura de Philiskos sendo limpa por arqueólogos - Reprodução/X/@_Stratonikeia_

Em meio a escavações recentes na aldeia de Eskihisar, na província de Mugla, na Turquia, arqueólogos fizeram uma descoberta no mínimo impressionante: a estátua 'Musas Dançantes' original, esculpida pelo grego Philiskos. A arte foi considerada perdida há 2.175 anos. Vale mencionar que a região, no passado, foi palco da antiga cidade grega de Stratonikeia.

+ Arqueólogos encontram estátua e busto de divindades gregas na Turquia

Segundo relatou o Daily Sabah, o Ministério da Cultura e Turismo da Turquia confirmou que a peça era a 'Musas Dançantes' original, sendo esta peça do período helenístico replicada por diversas vezes ao longo da história na Anatólia e na Grécia.

A criação original, no caso, ocorreu no século 2 a.C., sendo Philiskos amplamente conhecido entre os gregos antigos como um influente escultor por sua capacidade de transmitir movimento e precisão anatômica em suas obras de arte.

Com a descoberta recente, arqueólogos turcos celebram um importante marco na cultura da região, visto que estabelece de maneira definitiva a presença de Philiskos na antiga Stratonikeia, que foi conhecida como "a cidade dos amores eternos e dos gladiadores".

Ela é também uma das maiores cidades inteiramente construídas em mármore do mundo, sendo a única antiga cidade-estado com dois grandes santuários: um dedicado a Zeus e outro a Hécate, a deusa da magia.

Vale mencionar, ainda, que a rara escultura foi encontrada em um frigidário — local onde se tomava um banho frio, nos antigos complexos termais — dos banhos romanos de Stratonikeia. No entanto, infelizmente não estava em perfeitas condições, faltando cabeça e braços.

Escultura de Philiskos quando descoberta, na Turquia / Crédito: Reprodução/X/@_Stratonikeia_

Philiskos

Segundo o All That's Interesting, Philiskos se originou em Rodes, um importante centro de inovação artística na época, onde acredita-se que ele tenha esculpido principalmente heróis e deuses mitológicos. As 'Musas Dançantes', por exemplo, são uma representação das musas nascidas da relação entre Zeus e a titânide Mnemósine — acredita-se que tenham sido feitas nove esculturas no total.

+ Estátua de Apolo, deus do Sol na mitologia grega, é encontrada na Itália

Apesar de existirem muitas hipóteses acerca de Philiskos e de suas próprias obras, existem poucas informações oficiais sobre o escultor, e até pouco tempo atrás acreditava-se que todas as suas esculturas originais já não existiam mais. Por isso, o que era consultado sobre a figura até então pelos historiadores, para constatar sua influência no mundo da arte grega antiga, eram apenas registros escritos e referências de outros artistas.

A influência de Philiskos era tamanha que, anteriormente, réplicas de 'Musas Dançantes' também foram encontradas em outro banho romano, na cidade de Perge, também na Turquia, e outra em Rodes, o que serve como indício da influência do escultor no passado. Agora, o Ministério da Cultura e Turismo anunciou que a estátua recém-escavada deve ser exposta no Museu Muğla, depois que os trabalhos de restauração forem concluídos.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!