Notícias » Saúde

Estudo aponta que risco de AVC aumenta ao ficar sentado 8 horas por dia

A identificação de casos no Canadá possibilitou a análise do estilo de vida dos pacientes em uma relação inédita

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 25/08/2021, às 10h08

Imagem ilustrativa de dor de cabeça
Imagem ilustrativa de dor de cabeça - Imagem de VSRao por Pixabay

Um grupo de pesquisadores realizou um estudo no Canadá demonstrando que pessoas com menos de 60 anos de idade correm um risco maior de desenvolver um AVC caso passem 8 horas ou mais sentados todos os dias, sem aproveitar as horas livres para realizarem exercícios físicos, como informou o portal VivaBem do UOL.

A publicação foi feita na última quinta-feira, 19, pelo periódico Stroke, da American Heart Association, estimando que o risco é sete vezes maior do que o de pessoas ativas, assim consideradas pelos estudiosos aquelas que destinam ao menos dez minutos diários para se exercitar ou evitam passar quatro horas ininterruptas sem movimentar o corpo.

Os dados para a análise foram coletados com 143 mil amostras adultas do Instituto de Pesquisa de Saúde da Comunidade Canadense, realizadas entre 2000 e 2012 e focando em participantes com 40 anos ou mais, sem histórico de derrame anterior. Com as entradas, 2.965 AVCs foram registrados, sendo 90% desses isquêmicos, tipo mais comum.

O principal autor do estudo, Raed Joundi, da Universidade McMaster em Ontário, no Canadá, explicou à CNN norte-americana as diferenças notadas com tal perfil de paciente.

"Acredita-se que o tempo sedentário prejudique a glicose, o metabolismo lipídico, o fluxo sanguíneo e aumenta a inflamação no corpo. [...] Essas mudanças, com o tempo, podem ter efeitos adversos nos vasos sanguíneos e aumentar o risco de ataque cardíaco e derrame."