Notícias » Arqueologia

Fazendeiro se depara com impressionante placa de 2,6 mil anos do Egito Antigo

O objeto feito de arenito foi erguido por um faraó durante campanhas militares e tem mais de dois metros de altura

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 21/06/2021, às 14h33

A placa de pedra descoberta no Egito
A placa de pedra descoberta no Egito - Divulgação/Facebook/Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito

O Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito anunciou nesta segunda-feira a identificação de uma placa de pedra que tem ao menos 2,6 mil anos e contém inúmeros hieróglifos. A revista Galileu repercutiu as informações da descoberta.

Como informou o ministério, o artefato feito de arenito foi encontrado ao acaso por um fazendeiro da cidade de Ismaília, no Egito. Ele estava preparando seu terreno para uma plantação quando se deparou com a grande placa de 2,3 metros de altura e 45 centímetros de espessura

Os arqueólogos responsáveis pela análise do objeto relataram que o fazendeiro entregou-o ao Museu de Antiguidades de Ismailia, a nordeste da capital egípcia. O Museu de Antiguidades está guardando a placa atualmente.

A placa erguida pelo faraó egípcio / Crédito: Divulgação/Facebook/Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito

 

O artefato foi construído durante a Época Baixa do Antigo Egito. Acredita-se que o faraó egípcio Apriés tenha ordenado que seus súditos erguessem a placa, que é apenas uma das muitas levantadas ao longo do seu reinado, entre 589 a.C e 570 a.C.

Em uma nota, publicada na página do Facebook do Ministério do Turismo, o secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, Mostafa Waziry, argumentou que as placas foram erguidas principalmente ao leste do Egito, quando campanhas militares de seu governo foram feitas na região.

Segundo os especialistas, a placa está inscrita por hieróglifos que preenchem 15 linhas em toda a estrutura. Existem desenhos específicos, como um disco solar alado que, como explicou Waziry, representava o deus do Sol Rá. Outra representação está relacionada ao faraó Apriés, que governou durante a 26ª Dinastia.