Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Fóssil

Fóssil de macaco gibão aponta para ancestral de todas as espécies vivas

Fóssil estende o registro fóssil da família dos primatas hilobatídeos, de fósseis raros de serem encontrados

Redação Publicado em 15/09/2022, às 20h12

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Imagem do crânio encontrado - Divulgação/NYU’s Department of Anthropology
Imagem do crânio encontrado - Divulgação/NYU’s Department of Anthropology

Escavações  revelaram na província de Yunnan, na China, o fóssil mais antigo de um macaco gibão, já descoberto. O estudo publicado nesta terça-feira, 13, na revista Journal of Human Evolution.

Morto com menos de 2 anos de idade, os ossos do macaco filhote estendem o registro fóssil da família dos primatas hilobatídeos para até 8 milhões de anos. A família dos hilobatídeos inclui 20 espécies de gibões do nordeste da Índia a Indonésia, ou seja, toda a Ásia tropical.

Foram encontrados os restos do crânio, o maxilar superior e dentes do macaco Yuanmoupithecus xiaoyuan. Como repercutido pela revista Galileu, Terry Harrison, um dos autores do artigo, explicou em comunicado que o macaco fóssil é mesmo um parente próximo dos hilobatídeos vivos.

Os restos de Yuanmoupithecus são extremamente raros, mas com diligência foi possível recuperar espécimes suficientes para estabelecer que o macaco fóssil de Yuanmou é de fato um parente próximo dos hilobatídeos vivos”, conta Harrison.

Fósseis raros 

Para hilobatídeos, os restos de seus fósseis são raros. E com base nas descobertas, através do estudo do fóssil, a equipe concluiu que o pequeno gibão tinha cerca de 6 kg, tamanho similar ao dos gibões atuais.

Os restos fósseis de hilobatídeos são muito raros, e a maioria dos espécimes são dentes isolados e ossos de mandíbula fragmentados encontrados em cavernas no sul da China e no sudeste da Ásia que datam não mais de 2 milhões de anos atrás”, contou TerryHarrison.

Com base nos estudos, eles também puderam concluir que o fóssil “aponta para ser o ancestral de todas as espécies vivas“.

 Os dentes e a face inferior do Yuanmoupithecus são muito semelhantes aos dos gibões modernos, mas em algumas características a espécie fóssil era mais primitiva e aponta para ser o ancestral de todas as espécies vivas”, explicou Harrison, como repercutido pela revista Galileu.

+Confira o estudo completo em inglês clicando aqui

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!