Notícias » Argentina

Governo argentino alerta para nuvem de gafanhotos próxima ao Rio Grande do Sul

Atualmente, profissionais do Brasil e da Argentina monitoram o deslocamento dos insetos para evitar maiores danos. Veja o vídeo!

Penélope Coelho Publicado em 30/11/2020, às 11h09

Gafanhotos da espécie tucura
Gafanhotos da espécie tucura - Divulgação/Twitter/@MedinaHectorE

De acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira, 30, pelo portal de notícias G1, o governo da Argentina emitiu um aviso para as autoridades brasileiras sobre a proximidade de uma nuvem de gafanhotos na fronteira entre os países.

Segundo revelado na reportagem, os insetos estão a poucos quilômetros do Rio Grande do Sul. Contudo, especialistas da Argentina informaram que a espécie em questão não é a mesma que se aproximou do Brasil em agosto desse ano.

Dessa vez, trata-se dos gafanhotos tucura, conhecidos por não sobrevoarem grandes distâncias — o que pode servir como empecilho para sua entrada em massa no país.

Contudo, até o momento, o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (SENASA), identificou a presença dos insetos nas cidades argentinas de Campo de Viera e Itacaruaré, localizadas na divisa de cidades brasileiras como Rincão Vermelho e Porto Xavier.

Até o momento, os gafanhotos não causaram grandes prejuízos nas fazendas argentinas em que foram identificados, mesmo assim, os especialistas alertam e pedem para que os agricultores entrem em contato com as autoridades caso percebam alguma situação alarmante. Sabe-se que atualmente, profissionais da Argentina e do Brasil monitoram o deslocamento do inseto.

Sobre a nuvem de gafanhotos

Desde o início de 2020, a presença de nuvens de gafanhotos vem preocupando o governo da Argentina. Em agosto deste ano, o país emitiu um alerta informando o deslocamento dos insetos na divida com o Brasil, no Rio Grande do Sul.

Contudo, no mesmo mês, os profissionais argentinos conseguiram eliminar a nuvem que trazia mais risco para o Brasil.

Na época, o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agro-Alimentar (Senasa) da Argentina, informou que o fenômeno teve início no Paraguai. Desde então, a instituição monitora o deslocamento dos gafanhotos. Sabe-se que os insetos representam um risco para os fazendeiros, por se alimentarem das plantações, prejudicando assim a agricultura.

Confira o vídeo da espécie de gafanhotos tucura