Notícias » Música

Há 19 anos, a cantora Aaliyah morria em um trágico acidente de avião

Considerada a princesa do R&B, a diva teve suas carreiras de atriz, produtora, dançarina e intérprete interrompidas por um descuido fatal

Wallacy Ferrari Publicado em 25/08/2020, às 09h30

Retrato fotográfico da cantora Aaliyah
Retrato fotográfico da cantora Aaliyah - Wikimedia Commons

Aaliyah Dana Haughton nasceu no distrito do Brooklyn, em Nova York, em 16 de janeiro de 1979. Sua influência na megalópole acompanharia a jovem cantora por toda a vida, principalmente na música. Aos 12 anos, seu talento rendeu um contrato na Jive Records e, dois anos depois, foi apresentada a R. Kelly, que produziu e lançou seu álbum com apenas 15 anos de idade.

Na mesma época, ambos se casaram, tendo o disco "Age Ain't Nothing but a Number" como o principal fruto de um polêmico relacionamento, associado a acusações de pedofilia pela família da cantora. O sucesso comercial, no entanto, rendeu 5 milhões de cópias vendidas mundialmente e chegou a ser o 18° disco mais tocado pela Billboard 200. O casamento foi anulado em 1995, quando foi descoberto que Kelly usou um certificado ilegal.

Mesmo assim, seus dois discos posteriores sacramentaram seu sucesso no território internacional, além de abrir novas portas para a jovem cantora; em 1997, formou-se em teatro na Detroit High School for the Performing Arts e logo iniciou a carreira como atriz em pequenas participações televisivas. No ano seguinte, já era indicada ao Oscar pela contribuição musical na animação Anastasia, da Fox Studios.

Aaliyah em pose no vídeoclipe 'We Need A Resolution' / Crédito: Divulgação/Youtube/AaliyahVideoHD/23.11.2012

 

Dias finais no auge

Seus dois últimos anos de vida renderam a exposição que firmou a imagem de Aaliyah em Hollywood; no filme Romeu Deve Morrer, de 2000, a jovem não apenas compartilha o protagonismo com o ator Jet Li, mas também foi a produtora executiva do filme, além de contribuir com quatro canções na trilha sonora. O filme chegou a ser o segundo mais assistido dos EUA, arrecadando 18 milhões de dólares.

Chegou a gravar cenas para a sequência dos filmes da saga Matrix, porém, não chegou a concluir as gravações pela agenda relacionada ao lançamento do disco “ΛΛLIYΛH”, em junho de 2001. Promovendo os singles, a cantora passou a fazer uma série de viagens por todo os Estados Unidos, além de ampla promoção pela emissora de TV MTV e BET.

Em 22 de agosto de 2001, a jovem partiu para as Ilhas Abaco, em Bahamas, para gravar o clipe de ‘Rock The Boat’, que seria lançado como o próximo single da cantora. Na ocasião, Aaliyah já estava no 18° lugar no ranking de discos mais vendidos, porém, era previsto que alcançasse posições ainda maiores do que alcançadas anteriormente. O que não era esperado, era que o motivo seria uma tragédia.

Aaliyah em pose na capa do disco 'ΛΛLIYΛH', de 2001 / Crédito: Divulgação

 

Morte de uma estrela

No dia 25, a cantora encerrou as gravações de três dias e, às 06h45 do horário local, se preparou, junto a outros sete membros de sua equipe, para decolar em um bimotor Cessna 402B até o aeroporto de Opa-locka, na Flórida. A equipe, no entanto, não tinha informações sobre a capacidade de carga da aeronave e preferiu aproveitar a viagem para carregar o avião com parte do equipamento de filmagem, buscando agilizar a devolução das imagens para a edição.

O avião decolou com o peso para o equilíbrio ultrapassado, caindo de nariz a cerca de 200 metros após o final da pista. Além da cantora, morreram os produtores do vídeo, os seguranças, representantes da gravadora e funcionários responsáveis pela beleza da cantora, em menos de 20 segundos no ar. As imagens foram devolvidas e o clipe foi posteriormente lançada.

O relatório do National Transportation Safety Board (NTSB) ainda apontou que o piloto apresentava álcool e cocaína no sangue no momento da decolagem, além de falsificar a licença da Federal Aviation Administration (FAA), adicionando horas de voo falsas. O corpo da cantora foi levado quatro dias depois para Nova York, com sua cremação acompanhada por 1,2 mil pessoas.


++Saiba mais sobre música por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

O livro da música clássica, de Vários Autores (2019) - https://amzn.to/2UXEqQy

Como Ouvir e Entender Música, de Aaron Copland (2017) - https://amzn.to/3c8V7ht

Falando de música, de Leandro Oliveira (2020) - https://amzn.to/2xkz6O5

Uma história da música popular brasileira: das Origens à Modernidade, de Jairo Severiano (2013) - https://amzn.to/34wM1sj

Uma breve história da música, de Roy Bennett (1986) - https://amzn.to/3a35ylg

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W