Notícias » Monarquia

Incesto causou deformação na mandíbula dos Habsburgos, confirma estudo

Uma nova análise comprovou que a endogamia foi responsável pela característica marcante em uma das famílias mais poderosas da Europa

Alana Sousa Publicado em 05/12/2019, às 11h00

Carlos II, da Espanha
Carlos II, da Espanha - Wikimedia Commons

Um estudo realizado pela Universidade de Santiago de Compostelam, na Espanha, comprovou que a consanguinidade é a causa por trás da famosa mandíbula dos Habsburgos. A característica física que fazia com que todos os membros da realeza apresentassem um queixo deformado.

A análise foi publicada na revista Annals of Human Biology, no artigo o professor Roman Vilas, líder da pesquisa, explica: "Embora nosso estudo seja baseado em figuras históricas, a consanguinidade ainda é comum em algumas regiões geográficas e entre alguns grupos religiosos e étnicos, por isso é importante hoje investigar os efeitos. A dinastia Habsburgo serve como uma espécie de laboratório humano para os pesquisadores, porque a gama de endogamia é muito alta”.

Carlos I, da Espanha / Crédito: Wikimedia Commons

 

A família Habsburgo, como outros nobres, apreciavam casamentos entre parentes: a endogamia. Era uma forma de preservar o sangue real e estabelecer alianças políticas. No entanto, a falta de sangue novo na herança genética perpetuava e acentuava características físicas indesejáveis, provocava o surgimento de doenças congênitas, além de aumentar a mortalidade infantil.

Embora a endogamia já fosse a causa mais provável por trás da mandíbula dos Habsburgos, esta é a primeira vez que um estudo consegue, de fato, provar a teoria através da ciência. Para a análise foram chamados dez cirurgiões faciais para estudar 66 retratos de 15 membros reais. Entre eles, Filipe IV, rei da Espanha, Carlos I da Espanha, e o último membro da linhagem, Carlos II.

Felipe IV, da Espanha / Crédito: Wikimedia Commons

 

Além do queixo maior que o normal, os especialistas também detectaram outros pontos presentes na família, como o lábio inferior com mais carne e a ponta do nariz avantajada.

A família Habsburgo foi uma das mais poderosas da Europa, governando parte da Europa Central, como Espanha e Áustria, e um pedaço da América do Sul, entre o século 13 até a morte de Carlos II, em 1700. O monarca foi o último da dinastia, pois não conseguiu gerar um herdeiro.