Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Abelhas

Homem atacado por 70 abelhas fala sobre os momentos angustiantes que viveu

João Batista, de 49 anos, nunca havia sido picado por uma abelha, mas no dia 8 deste mês temeu por sua própria vida ao ser surpreendido por um enxame

por Giovanna Gomes

ggomes@caras.com.br

Publicado em 20/12/2023, às 08h50

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
O servente de  pedreiro, João Batista - Divulgação/Arquivo pessoal
O servente de pedreiro, João Batista - Divulgação/Arquivo pessoal

No dia 8 de dezembro, João Batista, de 49 anos, enfrentou um ataque de mais de 70 abelhas enquanto realizava seu trabalho em Anápolis (GO). O servente de pedreiro compartilhou recentemente o pânico que sentiu, temendo pela própria vida.

O trabalhador estava envolvido em uma construção localizada a 150 metros de um poste de energia elétrica, onde um enxame estava instalado. Segundo ele, o ataque começou minutos depois de sua chegada ao local.

“Parecia um dia comum de trabalho, sabe? Cheguei na obra e comecei a trabalhar. Não tinha visto nenhuma abelha por lá. Não demorou muito tempo para eu sentir as primeiras ferroadas e depois a situação ficou insustentável. Não tinha como me defender, eram muitas abelhas e elas só me picavam na cabeça, pescoço e braço. Eu só pensava na morte”, contou ao portal UOL.

As câmeras de segurança registraram seus esforços para afastar as abelhas. Ele tentou se abrigar junto a um freezer próximo a uma farmácia, enquanto outro homem jogava um balde de água na tentativa de deter o ataque. Em outra cena, um indivíduo com um pano tentava remover as abelhas da cabeça e do pescoço do servente de pedreiro, sem sucesso.

“Eu nunca tinha sido picado e, de repente, estava recebendo mais de 70 ferroadas. Elas eram rápidas, só conseguia ouvir o barulho e o vulto delas passando pela minha cabeça e meu pescoço também. Vivi uma cena de terror, com certeza. Olhava para cima e só enxergava aquele enxame enorme. A dor era tanta que eu também não conseguia pensar em muita coisa”, disse João.

Recuperação

O homem atualmente se recupera em casa, seguindo um tratamento com medicamentos e repouso, pois algumas partes de seu corpo ainda estão bastante inchadas, especialmente o rosto. João destacou o procedimento demorado no hospital para retirar as ferrões. "Acho que nunca vi tantos ferrões na minha vida."

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!