Notícias » Brasil

Homem atingido por bala de borracha em manifestação de Recife fica cego do olho esquerdo

Veículo investigativo apurou que Daniel Campelo sequer participava do ato que foi marcado pela grave ação das autoridades

Redação Publicado em 29/05/2021, às 21h42 - Atualizado às 22h36

Registro de Daniel Campelo após o episódio
Registro de Daniel Campelo após o episódio - Divulgação/Youtube/Minucioso

O sábado, 29, foi marcado por inúmeros protestos ao redor do Brasil. Inúmeras pessoas saíram às ruas para protestar contra Jair Bolsonaro mediante sua gestão diante da pandemia do novo coronavírus no país.

Em Recife, Pernambuco, o final da manifestação na cidade foi caracterizada por balas de borracha, bombas de efeito moral e o spray de pimenta contra os participantes, que não reagiram diante do ato da PM.

Apesar de pacífico, uma das vítimas da ação foi um homem de 51 anos que fora atingido por uma bala de borracha no olho.

Em apuração do portal de notícias UOL, foi constatado que Daniel Campelo sofreu uma lesão que acabou o deixando cego do olho esquerdo.

Perda de visão 

A reportagem explica que Campelo foi levado até o Hospital da Restauração. Na instituição, passou pela avaliação de médicos que optaram por encaminhá-lo para a Fundação Altino Ventura, diante da gravidade do caso.

Foi constatado através de exames que Daniel sofreu "um trauma ocular com hematoma retrobulbar com proptose importante”, significando que ele perdeu a visão.

O oftalmologista responsável por examinar Campelo também explicou ao UOL que o quadro seria capaz por fazê-lo perder o olho ‘a depender da lesão’.

Em um cenário ainda mais triste, o veículo investigativo Marco Zero apurou que Daniel não participava das manifestações e passou pelo local para comprar material que seria usado em seu trabalho.

Ação não autorizada

Luciana Santos, do PCdoB, disse através de uma gravação publicada nas redes sociais que governo do Recife não autorizou o ato da PM direcionado ao pessoas que participaram da manifestação. Ela destacou ainda que a ação foi condenada. 

"O governo do estado tem se pautado pela democracia, pelo diálogo. Nós condenamos esse tipo de atitude e vamos tirar as consequências do acontecido", explicou no comunicado.