Notícias » Ásia

Japão reúne milhares de pessoas em memorial online dos 75 anos da bomba de Hiroshima

Em 6 de agosto de 1945, o mais trágico ataque atômico da humanidade marcou a história do país asiático pelos falecimentos em massa

Wallacy Ferrari Publicado em 06/08/2020, às 12h26

Memorial reuniu coroas de flores na extremidade da lagoa
Memorial reuniu coroas de flores na extremidade da lagoa - Divulgação/TV Globo

O governo japonês realizou uma cerimônia em homenagem às vítimas do primeiro ataque nuclear da história, em Hiroshina, executado há exatos 75 anos. Na manhã desta quinta-feira, 6, o memorial do bombardeio recordou o evento como faz anualmente, porém, com novas restrições em decorrência à pandemia da covid-19.

A recordação, que costuma ser com abertura pública, foi restrita apenas para alguns sobreviventes do ataque, descendentes de vítimas, representantes estrangeiros e o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe. Para evitar aglomerações, cadeiras foram dispostas de maneira linear respeitando a distância mínima permitida, obrigando os convidados a usarem máscaras.

Inteiramente transmitido pela internet, os moradores locais puderam acompanhar a oração silenciosa, sempre realizada às 8h15 — mesmo momento em que a bomba atômica explodiu no céu de Hiroshima em 6 de agosto de 1945. A cerimônia de lanternas flutuantes, com luzes depositadas na água, não foi realizada.

Em depoimento durante a cerimônia, Kazumi Matsui, prefeito de Hiroshima enalteceu a população e defendeu a Constituição pacifista do Japão: “Nunca devemos permitir que se repita este passado doloroso”.