Notícias » Brasil

Jovem é preso no Ceará por vender brownies feitos à base de maconha

A entrega do produto era feita de maneira “discreta”, segundo perfil que comercializava os bolinhos

Fabio Previdelli Publicado em 17/02/2021, às 13h07

Brownies e maconha  que foram apreendidos durante operação
Brownies e maconha que foram apreendidos durante operação - Divulgação/ Polícia Civil de Fortaleza

Em Fortaleza, no Ceará, um homem de 21 anos, identificado como Anderson da Silva Pereira, foi preso por ser suspeito de comandar uma doceria online que vendia brownies feitos à base de maconha. As informações são do UOL. 

Segundo a Polícia Civil, o sujeito foi flagrado quando realizava uma entrega próxima a sua residência na última sexta-feira, 12, no bairro Aldeota. Após ser abordado, Pereira foi levado até seu apartamento. Lá, os agentes encontraram 250 gramas da erva in natura, preparos para bolo e uma manteiga feita a base de cannabis.  

Segundo a investigação, o material seria usado para a produção dos brownies. Além disso, a polícia também achou embalagem para os bolinhos, uma balança de precisão, anotações sobre a contabilidade dos negócios, 40 unidades dos produtos prontos para consumo e mais de 2.800 reais em espécie.  

O Departamento Estadual de Narcóticos (Denarc) informou que o caso foi descoberto através de uma denúncia anônima. Assim, as investigações apontaram para Anderson e a polícia o observou até que sua prisão fosse realizada.  

O rapaz não possuía antecedente criminais até então, quando foi autuado por tráfico de drogas. Apesar da prisão dele, o caso continuará sob investigação, já que existe a suspeita de que outras pessoas possam estar envolvidas com a atividade ilegal.  

Em entrevista coletiva cedida na tarde de ontem, 18, o delegado Alisson Gomes, titular do Denarc, disse que o perfil de Anderson tinha mais de mil seguidores. Além disso, ele prometia realizar as entregas de forma “discreta”. 

Além dos brownies, os clientes recebiam um cigarro de maconha de brinde devido a uma promoção. “A investigação aponta que ele [Anderson] preparava esses brownies com esse tipo de entorpecente, a maconha, e vendia na internet, inclusive oferecendo brindes. Dentre os brindes é possível destacar o 'beck', como eles chamam o cigarro de maconha, após [o cliente] comprar uma determinada quantidade de brownies. Diante dessas informações, o Denarc passou a monitorar a atividade criminosa e, na sexta-feira, conseguiu fazer a abordagem quando ele se dirigia para uma entrega". 

Além do tráfico de drogas, o delegado alertou os problemas de saúde que podem ocorrer devido a ingestão do produto. "É de fácil constatação aí, em uma simples pesquisa na internet, de pessoas que passaram mal e até ficaram internadas após consumir esse tipo de produto".