Notícias » África

Mulher que ficou refém de grupos extremistas por quatro anos é libertada

Sophie Pétronin havia sido sequestrada e estava no Mali, ela era a última refém francesa no mundo

Penélope Coelho Publicado em 09/10/2020, às 13h41

Imagem de Sophie Pétronin
Imagem de Sophie Pétronin - Divulgação/ Youtube / FRANCE 24 / 8 de outubro de 2020

Na última quinta-feira, 8, a francesa Sophie Pétronin, que havia sido sequestrada no ano de 2016 por grupos extremistas no Mali, foi libertada. As informações são da agência de notícias RFI e foram divulgadas pelo G1.

De acordo com a publicação, a libertação da funcionária de uma ONG humanitária foi anunciada pela presidência do país africano, depois de quatro anos em cativeiro. Pétronin era a última refém francesa no mundo.

A mulher de 75 anos comandava uma ONG franco-suíça que tinha o objetivo de ajudar crianças desnutridas no Mali. Em 24 de dezembro de 2016, ela foi sequestrada por homens armados na cidade de Gao, onde a francesa morava há anos. 

Como divulgado pelo portal de notícias UOL, em entrevista à RFI, Sophie comentou sobre os anos que passou como refém dos jihadistas: “Foi um pouco longo, mas transformei minha detenção em retiro espiritual. Assim foi melhor. Aceitei o que aconteceu comigo, não estava numa postura de resistência e, 'voilà', consegui sobreviver", contou Pétronin.