Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / De Niro

Mulher que vendeu fentanil ao neto de Robert De Niro alertou: "Não quero te matar"

Mensagens foram descobertas pela polícia após o falecimento precoce do neto do ator, aos 19 anos

Wallacy Ferrari

por Wallacy Ferrari

wferrari@caras.com.br

Publicado em 15/07/2023, às 10h13

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Leandro junto ao avô, Robert De Niro - Divulgação / Redes sociais
Leandro junto ao avô, Robert De Niro - Divulgação / Redes sociais

Sophia Haley Marks, 20, foi detida sob acusação de fornecer drogas que resultaram em uma overdose fatal para Leandro Rodriguez, neto do renomado ator Robert De Niro, aos 19 anos. A imprensa norte-americana teve acesso a algumas mensagens de texto interceptadas em seu celular, revelando o interesse do próprio jovem em consumir as substâncias.

Em uma das conversas, Marks alertou o garoto sobre os perigos das pílulas que ele comprava em grande quantidade, sem revelar suas pílulas eram possíveis falsificações de Oxicodona e Xanax contendo fentanil. Na noite anterior à sua morte, ocorrida em 1º de julho, ela questionou o rapaz depois de ele solicitar 30 pílulas: "Você realmente precisa delas? [...] Eu não quero te matar".

Conhecida como a "Princesa Percocet", Marks supostamente enviou os comprimidos para Leandro por meio de um serviço de entregas por aplicativo por volta das 21h30 do dia 1º de julho, conforme informações de fontes policiais. Ela enviou uma mensagem às 2 da manhã perguntando se ele estava bem, mas nunca obteve resposta.

Segundo o The New York Post, Leandro foi encontrado morto em seu apartamento no Financial District no dia 2 de julho, devido a suspeita de overdose, de acordo com a polícia. Após a tragédia, Marks teria vendido mais de 50 analgésicos para policiais disfarçados, por uma quantia de US$ 1 mil (cerca de R$ 4,7 mil na cotação atual).

Possível traficante

Durante um depoimento, Marks teria revelado a um policial que um amigo de 19 anos também morreu após tomar uma das pílulas em 14 de junho, semanas antes da aparente overdose de Leandro.

Ao prender a garota na noite de quinta-feira, os policiais supostamente encontraram 156 comprimidos e US$ 1.500 em dinheiro em sua posse. O caso permanece sob investigação, enquanto as autoridades buscam esclarecer os detalhes e responsabilidades envolvidas nessa trágica ocorrência.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!