Notícias » Brasil

Mulher que xingou atendente com frases homofóbicas é condenada a indenizá-lo

Caso aconteceu em uma padaria na zona Oeste da capital paulista em novembro do ano passado

Fabio Previdelli Publicado em 12/10/2021, às 09h27

Mulher que xingou atendente com frases homofóbicas
Mulher que xingou atendente com frases homofóbicas - Divulgação/YouTube/UOL

Em novembro do ano passado, Lidiane Brandão Biezok foi acusada de proferir insultos homofóbicos contra o atendente de uma padaria em Perdizes, na zona Oeste da capital paulista. Agora, quase um ano depois, a mulher foi condenada a pagar uma indenização ao trabalhador.  

Na época, os xingamentos de Lidiane foram registrados em vídeo por funcionários do estabelecimento e clientes que estavam presentes no local. A sentença foi decidida pela juíza Eliana Tavares, da 1º Vara do Juizado Cível de Vergueiro, que determinou que a mulher terá que pagar 5 mil reais por danos morais.  

"A situação vivida pela parte autora — agressões verbais de cunho racista e homofóbico na frente de outras pessoas, em seu ambiente de trabalho — foi suficiente para caracterizar dano moral", relatou Eliana, segundo informado pelo UOL. 

A juíza também alegou que Biezok não conseguiu provar que sofre com alguma doença mental, algo que a mulher usou para tentar justificar as ofensas. Segundo a ré, ele teve um “surto” no momento e acabou se descontrolando.

Pouco depois, ela chegou a se desculpar com o atendente, atribuindo as falas a um quadro de bipolaridade, síndrome do pânico e depressão. Um teste psiquiátrico ainda será marcado.  

"Ainda que a ré seja incapaz, sobre o que não produziu sequer começo de prova, tal condição não afasta sua responsabilidade pelos prejuízos a que der causa", completou Tavares