Notícias » Arqueologia

Museu egípcio recebe 15 múmias inéditas em sua exposição

Entre os muitos artefatos que chamaram atenção do público, dois sarcófagos encontrados em Saqqara se destacam no salão

Pamela Malva Publicado em 23/11/2020, às 13h30 - Atualizado às 16h20

Imagem de algumas das múmias na exposição
Imagem de algumas das múmias na exposição - Divulgação

Nos últimos dias, funcionários do Museu Egípcio de Tahrir se surpreenderam com o grande número de visitantes que passaram pela instituição. Acontece que, além das muitas peças já expostas, 15 múmias inéditas chamaram atenção do público.

Atualmente, o andar de apresentação dos sarcófagos está sendo ocupado por 50 múmias diferentes, incluindo dois exemplares recém-descobertos em Saqqara. Juntas, as peças fizeram com que o salão ganhasse uma nova importância para o museu.

Segundo o arqueólogo Sabah Abdel Razek, que ainda é diretor-geral da instituição, a grande quantidade de múmias fez com que novos visitantes se interessassem ainda mais pela atração, ainda que o museu já fosse reconhecido pelo Salão das Múmias.

Por enquanto, os impressionantes sarcófagos devem ficar expostos no museu de Tahrir, enquanto esperam por sua restauração. No futuro, no entanto, as peças arqueológicas serão transferidas para o Museu Nacional da Civilização em Fustat.

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história.

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.