Notícias » Arte

Nova pesquisa revela enigma de pintura russa do século XVIII

O retrato do artista Dmitry Levitsky também colaborou para que os pesquisadores pudessem saber mais sobre o período artístico e histórico do qual a obra faz parte

Isabela Barreiros Publicado em 20/03/2020, às 08h00

O retrato de F.P. Makerovsky em traje de disfarce, de Dmitry Levitsky (1789)
O retrato de F.P. Makerovsky em traje de disfarce, de Dmitry Levitsky (1789) - Divulgação/Instituto de Física e Tecnologia de Moscou (MIPT)

Um novo estudo, publicado na revista acadêmica Heritage Science revelou o segredo de uma antiga pintura feita pelo artista russo Dmitry Levitsky, no século XVIII. O quadro, nomeado Portrait of F.P. Makerovsky in a Masquerade Costume (O retrato de F.P. Makerovsky em traje de disfarce, em português) foi o alvo da pesquisa, que durou um ano e meio e envolveu pesquisadores das mais diversas áreas, como Artes e Química.

Um dos maiores problemas enfrentados ao longo da investigação foi o fato da conservação grosseira feita no retrato impossibilitarem os estudiosos de observá-la por completo. As grossas camadas de tinta e verniz aplicadas por conservadores de obras de arte são responsáveis por distorcer a realidade da pintura.

A hipótese colocada pelos pesquisadores é que Levitsky iniciou a obra em um quadro muito pequeno e, durante seu desenvolvimento, teve de acrescentar anexos à parte principal. Para acomodar essa nova visão, que surgiu a medida da evolução do trabalho, ele construiu uma tela maior.

"A última vez que o retrato foi submetido à conservação foi em 1914. Realizamos uma análise abrangente de pré-conservação da composição dos materiais de arte. Isso nos permitiu estabelecer que as peças de extensão foram realmente pintadas por Levitsky”, afirmou o co-autor do estudo Nikolay Simonenko, do Instituto de Física e Tecnologia de Moscou (MIPT), na Rússia.

Essa foi a primeira vez que um quadro do pintor Dmitry Levitsky foi analisado profundamente em um artigo acadêmico. Ele foi um dos mais importantes artistas russos do seu período, e, com o estudo, foi possível não somente entender mais à fundo a técnica de conservação de obras de arte, mas também o movimento artístico do qual ele fazia parte ao final do século XVIII.