Notícias » Pré-História

Novas descobertas na Amazônia fornecem provas de que primatas africanos atravessaram o Oceano Atlântico

Essa novidade ajuda a datar a migração dos animais para a América do Sul para aproximadamente 34 milhões de anos atrás

Penélope Coelho Publicado em 20/04/2020, às 12h00

Imagem ilustrativa de macacos na água
Imagem ilustrativa de macacos na água - Pixabay

Quatro dentes de macacos foram encontrados fossilizados nas profundezas da Amazônia peruana. Esses artefatos fornecem novas evidências sobre a migração dos primatas antigos para a América do Sul.

De acordo com a pesquisa da Universidade do Sul da Califórnia (USC), publicada recentemente na revista Science, os fósseis são as primeiras evidências de que os macacos sul-americanos evoluíram dos primatas advindos da África. A espécie já extinta viveu nos períodos Eoceno e Oligoceno, no atual Egito.

Fósseis de dentes de macacos encontrados na Amazônia peruana / Crédito: Divulgação

 

Os dentes encontrados são de uma categoria recém-descoberta, chamada parapitecídeos. Segundo os pesquisadores, os macacos possivelmente fizeram essa viagem de mais de 1.300 quilômetros no Oceano Atlântico, através de destroços formados pela vegetação local, depois de uma tempestade. A descoberta data a migração dos primatas para milhares de anos atrás.

Os estudiosos apelidaram os macacos de Ucayalipithecus Perdita, em homenagem à vegetação local da região da Amazônia peruana onde os fósseis foram encontrados. No estudo, os arqueólogos descrevem a espécie como muito pequena, parecida com aquele que conhecemos atualmente como sagui.