Notícias » Peru

Após acusações, presidente do Peru declara: 'Nós não somos comunistas'

Pedro Castilho negou à OEA que seu governo seja comunista ou que irá realizar expropriações

Redação Publicado em 21/09/2021, às 11h25

Pedro Castillo, presidente peruano
Pedro Castillo, presidente peruano - Getty Images

Na última segunda-feira, 20, o novo presidente do Peru, Pedro Castillo, negou ao Conselho Permanente da OEA (Organização dos Estados Americanos), que seu governo seja comunista e que vá realizar expropriações. O político ainda chamou os 'grandes investidores'. 

"Nós não somos comunistas, não viemos expropriar ninguém, afugentar os investimentos, ao contrário, chamamos os grandes investidores", declarou o presidente, que tomou posse no mês de julho. "Fomos estigmatizados por pedir mudanças estruturais, em sintonia com o povo", finalizou.

'Espaço claramente equitativo'

Harold Forsyth, quem possui os cargos de presidente do Conselho Permanente e embaixador do país, foi o responsável por convocar a sessão, que foi realizada de maneira virtual e semipresencial, já que o político se encontra na sede da OEA em Washington.

Forsyth defendeu que o órgão "seja verdadeiramente um espaço claramente equitativo, social, onde se garantam os direitos humanos, se fale de uma verdadeira democracia e igualdade de oportunidades, sem discriminações".

Anteriormente, o secretário-geral da OEA, Luis Almagro revelou ser um admirador da visão social de Castillo, destacando que ele é "o primeiro presidente camponês do Peru".