Notícias » Reino Unido

Professor de Cambridge que defendeu pornografia infantil ética é preso por posse de conteúdo explícito

Peter King chocou a comunidade científica, em 2007, depois de argumentar a favor do uso de imagens pornográficas de crianças

André Nogueira Publicado em 19/03/2020, às 12h40

Pembroke College, Universidade de Cambridge
Pembroke College, Universidade de Cambridge - Wikimedia Commons

Um professor de filosofia da Universidade de Cambridge, responsável por um polêmico artigo em que defende uma forma ética de se produzir pornografia infantil, foi preso por manter 3 mil imagens do tipo em seu acervo pessoal. O texto Sem Brinquedo: Questões Éticas sobre Pornografia Infantil escandalizou o mundo acadêmico em 2007.

Peter King, atualmente com 63 anos, foi alertado da criminalidade dos seus atos anteriormente, mas continuou baixando conteúdos ilegais na internet antes de ser preso. Ele foi condenado a sete meses na prisão por três acusações relacionadas às imagens em questão.

Uma investigação do disco rígido e do histórico de seu computador revelou o acesso constante de King a sites pornográficos, tendo preferência a temáticas infantis e colegiais. "Ele foi imediatamente suspenso de seu emprego, aguardando um processo disciplinar", afirmou um comunicado do Pembroke College, instituição da Universidade de Cambridge.

“King ocupou uma posição estimada em uma universidade de prestígio, mas suas ações ficaram muito aquém da lei. A lei existe para proteger as crianças pequenas e nos dedicamos a levar os autores desse crime à justiça", afirmou Paula Appiah, procuradora do Ministério Público da Coroa britânica, em comunicado público.