Notícias » China

Raríssimas ossadas encontradas na China comprovam ocorrência de sacrifícios humanos

Túmulos inéditos localizados na província de Henan estavam repletos de ossos de oráculos, com marcas indicando atos sacrificiais até então considerados falsos

André Nogueira Publicado em 14/04/2020, às 07h50

Ossada de sacrifício
Ossada de sacrifício - Instituto Provincial de Relíquias Culturais e Arqueologia de Henan

Na província de Henan, na China, raríssimas ossadas de oráculos foram encontradas numa série de túmulos da Dinastia Shang, com algumas instigantes marcas com referências a sacrifícios humanos envolvendo parte dos restos mortais. As informações reveladas dos padrões sociais ritualísticos Shang comprovam hipóteses até então não atestadas de mortes em liturgias na região.

Fragmento de osso de oráculo / Crédito: Instituto Provincial de Relíquias Culturais e Arqueologia de Henan

 

Segundo Liang Fawei, arqueólogo responsável pelo projeto, ao canal Xinhua, o local e época do sítio possui tradições sacrificiais marcantes e conhecidas, com o uso de inscrições que apontam suas diretrizes. Porém, as atividades apontadas pela palavra “kan” na sepultura indicam uso de pessoas e gado na ocasião, o que é raro. Os glifos em questão foram encontrados nos ossos dos oráculos.

Fogão encontrado no local / Crédito: Instituto Provincial de Relíquias Culturais e Arqueologia de Henan

 

"Ordens de nobres de alto escalão do final da dinastia Shang, poços de sacrifício, fundações de solo abarrotadas e poços bem construídos foram encontradas no local, indicando que deveria ser um centro regional na época", afirma Fawei. Segundo ele, violações dos túmulos levou a uma danificação que impediu a identificação da família ao qual eles pertenciam.

Caco de cerâmica encontrado no local / Crédito: Instituto Provincial de Relíquias Culturais e Arqueologia de Henan

 

Pesquisadores chineses já iniciaram os esforços de conservação do local e reconstituição de sua disposição original, no intuito de revelarem a aparência original do jazigo. O local, historicamente, tinha relevância na dinastia Shang, e também foi onde o rei Wu de Zhou registrava comerciantes aliados em textos.