Notícias » Ciência

Rubi de 2,5 bilhões de anos tem evidências do início da vida na Terra

Cientistas descreveram a descoberta inédita como “única”

Isabela Barreiros Publicado em 23/10/2021, às 13h19

Rubi que apresenta sinal de vida primitivo
Rubi que apresenta sinal de vida primitivo - Divulgação/Universidade de Waterloo

Um rubi formado na crosta terrestre há pelo menos 2,5 bilhões de anos apresenta evidências de vida primitiva, ou seja, do começo da vida no planeta Terra. A descoberta foi feita por cientistas da Universidade de Waterloo, nos Estados Unidos. 

Segundo os pesquisadores, que publicaram suas conclusões em um artigo no periódico Ore Geology Reviews deste mês, existem restos de grafite, uma forma de carbono puro de origem biológica, na composição do rubi.

Eles acreditam que esse material pode ser resíduos de um microrganismo unicelular ainda não conhecido que teria habitado o planeta antes dos seres multicelulares terem surgido na Terra.

"O grafite dentro deste rubi é realmente único. É a primeira vez que vimos evidências de vida antiga em rochas com rubi”, afirmou o principal autor da pesquisa, o geólogo Chris Yakymchuk.

“A presença dele também nos dá mais pistas para determinar como os rubis se formaram, algo que é impossível fazer diretamente com base na cor e na composição química dele", completou, de acordo com informações do portal UOL.

Os especialistas estavam estudando os processos de formação do corindo, um mineral do qual o rubi é uma variedade, quando fizeram a descoberta. As pesquisas estavam sendo conduzidas na Groenlândia, conhecida por abrigar um dos depósitos mais antigos da pedra.

O estudo sobre o rubi de 2,5 bilhões de anos pode ser lido na revista científica Ore Geology Reviews.