Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Arqueologia

Santuário romano dedicado ao deus da guerra é descoberto na França

A construção de 2 mil anos estava próxima de um cemitério repleto de artefatos curiosos

Ingredi Brunato Publicado em 05/04/2023, às 17h33

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Fotografia mostrando escavação do templo milenar - Divulgação/ INRAP/ Françoise Labaune-Jean
Fotografia mostrando escavação do templo milenar - Divulgação/ INRAP/ Françoise Labaune-Jean

Em Chapelle-des-Fougeretz, uma comuna francesa, uma escavação arqueológica realizada pelo Instituto Nacional de Pesquisa Arqueológica da França (INRAP) trouxe à superfície um santuário romano dedicado ao culto de Marte, o deus da guerra, que remonta há 2 mil anos. 

Dentro da construção, foram encontradas várias armas deixadas no local como forma de oferenda à entidade divina, como 12 espadas de ferro, 4 facas de poda, várias pontas de lança e até mesmo uma foice que provavelmente pertenceram a soldados do império.

Nas proximidades dessas ruínas, estavam ainda uma casa de banhos e um cemitério com cerca de 40 sepulturas que teria sido usado entre os séculos 3 e 4, de acordo com as estimativas dos pesquisadores. 

Fotografia das sepulturas / Crédito: Divulgação/ INRAP/ Françoise Labaune-Jean

Vale mencionar que, conforme informado pelo News Observer, os túmulos da necrópole se encontravam vazios. Isso pois os esqueletosque um dia repousaram ali teriam se dissolvido devido à acidez do solo presente na região. 

Assim, os arqueólogos precisaram se contentar em escavar os pertences pessoais com os quais os indivíduos foram enterrados, dos quais é possível citar peças de cerâmica, pulseiras de prata, contas decorativas, alfinetes, um punhal, uma fivela de cinto, um arreio de cavalo e as solas de um sapato (os calçados em si não teriam sobrevivido à ação do tempo). 

Montagem mostrando, à esquerda, foto de pulseiras e contas descobertas nas covas, e, à direita, foto das solas do sapato / Crédito: Divulgação/ INRAP/ Françoise Labaune-Jean

Próximos passos 

Após a exploração arqueológica do local, o time de especialistas irá analisar os artefatos descobertos em laboratório. Ainda segundo o News Observer, eles desenterraram mais de 700 itens históricos.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!