Notícias » Brasil

Segurando fuzil, Roberto Jefferson pede demissão de ministros do STF

Condenado no Mensalão, Jefferson afirmou que está se preparando para combate "contra o comunismo, contra a ditadura"

Vanessa Centamori Publicado em 09/05/2020, às 13h14

O ex-deputado Roberto Jefferson, condenado no Mensalão
O ex-deputado Roberto Jefferson, condenado no Mensalão - Divulgação/Twitter

O ex-deputado Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, publicou no Twitter, neste sábado, 9, uma foto dele mesmo segurando um fuzil, junto à uma mensagem pedindo para que Jair Bolsonaro demita e substitua os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo a Constituição Brasileira, no entanto, não há poder que permita o presidente tomar a medida antidemocrática exigida pelo ex-deputado. "Estou me preparando para combater o bom combate. Contra o comunismo, contra a ditadura, contra a tirania, contra os traidores, contra os vendilhões da Pátria. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos", escreveu Jefferson. 

O presidente nacional do PTB - partido que tem se mostrado aliado de Bolsonaro - defende posições polêmicas. Jefferson, que foi um dos condenados no escândalo do Mensalão, certa vez, durante uma transmissão online, acusou o Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de bolar um golpe parlamentar. Jair Bolsonaro assistiu e recomendou a live.

O líder do PTB sugeriu ao presidente: "Bolsonaro, para atender o povo e tomar as rédeas do governo, precisa de duas atitudes inadiáveis: demitir e substituir os 11 ministros do STF, herança maldita. Precisa cassar, agora, todas as concessões de rádio e TV das empresas concessionárias Globo. Se não fizer, cai".