Notícias » Geórgia

Sem se alimentar desde 1° de outubro, ex-presidente da Geórgia corre sério risco, revela médico

Mikheil Saakashvili decidiu começar uma greve de fome para protestar contra sua prisão; entenda

Penélope Coelho Publicado em 19/11/2021, às 08h41

Mikheil Saakashvili, em 2013
Mikheil Saakashvili, em 2013 - Getty Images

Nesta sexta-feira, 19, um médico responsável por analisar o estado de saúde do ex-presidente da Geórgia — país localizado na interseção da Europa com a Ásia — informou que o homem corre risco de vida.

Mikheil Saakashvili está em greve de fome há 50 dias, preso em um hospital penitenciário. O homem parou de comer em 1° de outubro, como forma de protesto contra sua prisão.

De acordo com informações publicadas na manhã desta sexta-feira, 19, pela agência de notícias AFP, Saakashvili foi detido por voltar ao país Cáucaso, após anos de exílio.

Segundo revelado na reportagem, Mikheil desmaiou durante recente reunião com seus advogados. O médico que o examinou após o ocorrido afirmou que sua vida corre risco, mencionando problemas cardíacos e neurológicos no paciente.

O doutor pediu para que as autoridades transfiram o homem para uma clínica civil. Sabe-se que a prisão do ex-presidente gerou protestos no país, a oposição georgiana pela libertação do político.