Notícias » Espaço

Supervisor diz que a NASA não deve enviar missões tripuladas à lua até 2026

O programa espacial Artemis buscava trazer humanos para a superfície lunar até 2024

Paola Orlovas, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 16/11/2021, às 14h49

Buzz Aldrin na lua
Buzz Aldrin na lua - Wikimedia Commons

Um supervisor do governo americano declarou para a Reuters na última segunda-feira, 15, que a NASA deve demorar mais do que o esperado para conseguir levar uma missão tripulada à lua, afirmando que a agência havia feito uma estimativa falha do custo do retorno dos astronautas para a Terra, o que fez com que o esforço tivesse que se estender para 2026.

O programa Artemis, que havia sido lançado pelo ex-presidente Donald Trump com o intuito de retomar as missões tripuladas na superfície lunar até 2024 e servir de trampolim para futuros programas espaciais em Marte, teve sua meta estendida em um ano na última semana, ficando para 2025 e podendo ir até 2026.

Ainda segundo a Reuters, o inspetor geral da NASA teria descoberto que a agência não possui uma estimativa de custo abrangente, que contabilize os custos do programa. Além disso, ela usa apenas uma estimativa para as três primeiras missões, enquanto o supervisor acredita que ao menos 93 bilhões de dólares serão gastos com o Artemis até 2025. 

Em nota para a agência, a NASA respondeu às falas do empregado, afirmando que reestruturou a organização da Diretoria de Missão de Exploração Humana e Operações para garantir que a gestão fosse eficaz, também concordando que deveria buscar “metas de redução de custos mensuráveis” para o seu Desenvolvimento de Sistemas de Exploração.