Notícias » Mundo

Fim da supremacia masculina: Pesquisador acredita que futuro será melhor devido às mulheres

Melvin Konner é um neurocientista norte-americano que lançou um livro a respeito da maneira como nossos cromossomos influenciam quem somos

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 10/11/2021, às 16h08

Fotografia meramente ilustrativa
Fotografia meramente ilustrativa - Divulgação/ Pixabay/ geralt

Melvin Konner, um pesquisador estadunidense formado em neurociência e bioantropologia, entre outras áreas científicas, comentou em uma entrevista ao Universa que, com mulheres ocupando cada vez mais posições de poder, a humanidade caminha para um futuro "melhor" e "mais seguro" para as próximas gerações. 

Para o especialista, que lançou em 2015 o livro "Women After All" (Ou "Mulheres Depois de Tudo", em tradução livre), a supremacia masculina está em inevitável declínio, e isso é bom. 

As características principais do status quo mantido por homens — como agressividade, violência e belicismo — estão perdendo sentido. Mesmo as guerras, hoje se dão por meio principalmente de tecnologia e não de força", explicou Melvin

O neurocientista se focou na maneira como os cromossomos que definem as características biológicas de cada sexo influenciam o comportamento humano. 

"No livro, aponto que as mulheres, em geral, são menos violentas, mais inclusivas, menos agressivas no estilo de liderança e mais preocupadas com as crianças e com o planeta. Também cometem menos crimes sexuais. Há estudos mostrando que governam com mais transparência do que os homens", concluiu ainda o pesquisador. 

Vale destacar que a obra de Konner comparou exclusivamente homens e mulheres cisgêneros, de forma que as mesmas regras podem não se aplicar para pessoas transgênero.