Notícias » Ásia

Tailândia proíbe leitura, alimentos e bebida dentro de aeronaves durante voos internos

Após seis casos de transmissão exterior, a medida restringe qualquer exceção para a retirada da máscara

Wallacy Ferrari Publicado em 02/01/2021, às 11h55

Pessoas aguardam decolagem de avião com máscaras
Pessoas aguardam decolagem de avião com máscaras - Getty Images

Uma ideia do governo tailandês para reduzir o número de transmissões da covid-19 em aglomerações de necessidades chamou a atenção das agências de voos internacionais; agora, os passageiros não poderão solicitar itens para leitura, como gibis e livros para passageiros, podendo ler apenas as cartilhas de orientação e obras trazidas pelo próprio tripulante.

A medida, expedida na última sexta-feira, 1º dia do ano, restringiu também a venda de alimentos e bebidas em voos domésticos, de maneira que não haja nenhuma exceção para a retirada da máscara. As empresas de aviação que não seguirem a medida serão punidas, podendo haver impedimento de voos, como informou o jornal britânico Daily Mail.

Atualmente, a Tailândia tem 7,1 mil casos do novo coronavírus no país, com 63 vítimas fatais da doença. Todas foram investigadas pela autoridade de Saúde estatal e confirmou que, apesar da grande maioria ter sido resultado de transmissões locais, seis delas foram causadas por infecções que vieram do exterior.

A medida também visa a prevenção de novos tipos de mutações da doença, conforme já ocorre em diversos países. O consumo de alimentos já estava restrito desde abril de 2020 nos voos ao país, mas não especificava o termo para comidas e bebidas adquiridas fora das aeronaves.