Notícias » Guerra Fria

Trombetas da morte: CIA tentou reproduzir arma de terror psicológico do Terceiro Reich

Baseado no atroz caça Ju-87 Stuka dos nazistas, a agência dos EUA tentou criar um avião que gerasse um som parecido

André Nogueira Publicado em 13/04/2020, às 10h14

Ju-87 Stuka
Ju-87 Stuka - Wikimedia Commons

Em documentos divulgados recentemente pelo governo dos EUA, provou-se que a CIA tinha um projeto de construção de dispositivos aeronáuticos de terror psicológico inspirados no caça Ju-87 Stuka nazista, ou Trombeta de Jericó. O dispositivo era um avião de bombardeio com uma característica peculiar: a buzina aguda causava terror às populações bombardeadas.

O ruído gerado pelo avião da Segunda Guerra era artificial e feito no intuito de criar condições de fragilidade psicológica em meio aos ataques, e foi a origem da ideia do Screamer Project da agência estadunidense, que daria origem ao Chifre de Jericó, buzina de mesmo objetivo. A guerra mental feita pelos nazistas diminuía a capacidade de resistência de suas vítimas.

Segundo o portal The Drive, que teve acesso ao documento, o “objetivo do dispositivo, tanto para os alemães quanto para os norte-americanos, era meramente psicológico: espalhar o medo entre a população atacada, de acordo com as teorias prevalecentes à época sobre a possibilidade de aviões decidirem o curso de guerras através do terror a bombardeios”. Para tanto, a CIA fez expedições para localização e estudos dos Stuka alemães.

Segundo os papéis revelados, o aparelho de som seria aplicado em aviões de treino AT-11 Kansan e ao Cessna 180 para que, atingida a velocidade de 480 km/h, fosse acionado o alarme da morte. Porém, nos testes, o som não ultrapassou o volume de uma serra elétrica, mostrando-se ineficiente para causar o terror pretendido. "Atualmente, o Chifre de Jericó não satisfaz os requisitos e é duvidoso que esforços continuados venham a atingir esse fim" coloca o relatório final do experimento.