Matérias » Personagem

Alcoolismo e agressões: o conturbado relacionamento de Humphrey Bogart, o galã que apanhava da esposa

Vencedor do Oscar tinha fama de herói nas telonas, mas as coisas não foram bem assim no seu casamento com Mayo Methot

Wallacy Ferrari Publicado em 07/04/2020, às 09h00

O ator Humphrey Bogart em retrato (à esq.) e o casal, em uma varanda (à dir.)
O ator Humphrey Bogart em retrato (à esq.) e o casal, em uma varanda (à dir.) - Wikimedia Commons

Muitos relacionamentos do início de Hollywood contrastavam com suas próprias produções, com galãs que eram símbolos do romantismo nas telonas, mas eram conhecidos como bons cafajestes nos bastidores. Com muitos relacionamentos e abusando da ingenuidade de suas esposas, os bonitões da indústria cinematográfica marcaram a Era Dourada com traições e abusos, porém, um caso em específico destoa.

Humphrey Bogart sempre interpretou homens durões no cinema, atuando em Casablanca e recebendo o Oscar de Melhor Ator, em 1951, com o filme Uma Aventura na África. Porém, em casa, seu terceiro casamento, com a atriz Mayo Methot, era um problema diário: casados em 21 de agosto de 1938, quando ele já era muito elogiado por seus trabalhos no cinema, o casal tirava o sossego da produtora.

Bogart, que já havia se casado duas vezes com atrizes anteriormente, justificou o motivo do término como incompatibilidade de agendas e que, infelizmente, estaria atrapalhando a carreira das moças. Com Mayo, isso não parecia um problema futuro, visto que a atriz havia desistido voluntariamente da carreira, unicamente para se casar com maior tranquilidade e acompanhar o marido sempre que possível.

O casal, em foto junto aos cachorros adotados, em 1944 / Créditos: Wikimedia Commons

 

A atriz, no entanto, enfrentava sérios problemas com alcoolismo, externando seus excessos em situações embaraçosas. Em certa ocasião, quando o casal se encontrou com o diretor John Huston, na Itália — após uma viagem para entreter tropas na Segunda Guerra —, depois uma noite de bebedeira, Methot insistiu em cantar uma música para todos os presentes, mesmo com todos recusando.

A apresentação, além de terrivelmente desafinada e embaraçosa para todos os presentes, fez a imprensa atribuir o casal, muito atritado, como os Battling Bogarts, algo como Os Bogarts Enfrentadores, pela personalidade agressiva e confrontadora de críticos da atriz. Mayo chegou a ter um apelido próprio: Sluggy, que depois foi até motivo de brincadeiras do casal — Bogart nomeou seu iate Sluggyem em sua homenagem.

Sempre fiel a esposa, suas atuações nas telas não eram bem aceitas pela esposa, que sempre demonstrava publicamente seu ciúme nos sets de filmagens. Publicamente, Bogart fazia questão de falar que gostava do ciúme que sofria e que “não daria dois centavos por uma dama sem temperamento forte”, porém, a residência do casal era conhecida pelos amigos e vizinhos como palco de brigas onde o galã era a vítima.

A sequência da Guerra Civil

O amigo Julius Epstein chegou a descrever o casamento como “a sequência da Guerra Civil”, pelas loucuras causadas pelo alcoolismo de ambos e temperamento violento de Methot. Convencida de que os beijos técnicos eram, na verdade, uma maneira escancarada de trair a esposa. Em certa ocasião, o ciúme foi tamanho que a atriz esfaqueou o marido no ombro.

O incidente, escondido e ocultado da imprensa pelo departamento de publicidade da Warner Bros, era para ter sido o estopim para o término, porém, o ator ainda tentou salvar o casamento. Em uma ocasião, chegou a desarmar a esposa, que estava com uma pistola em um jantar, junto a outras personalidades do cinema, como a atriz Gloria Stuart.

Humphrey Bogart contracenando com Lauren Bacall / Créditos: Pixabay

 

O estopim, seria um possível caso com a atriz Lauren Bacall, com quem contracenou, em 1944, no filme Uma Aventura na Martinica. Bisbilhotando as gravações sempre que possível, Humphrey se cansou dos acessos de ciúme ao conhecer a jovem, 25 anos mais nova, que lhe tratava de maneira doce e bem-humorada. Apesar da desconfiança da esposa, não há relatos de que o ator a beijou antes de se separar de Methot.

Em 10 de maio de 1945, o pedido de divórcio ocorreu, sendo concedido uma hora após o decreto. Onze dias depois, Bogart convenceu a jovem Lauren a se casar, se tornando um dos casais de maior apreço dos Estados Unidos, além da fama de serem excelentes companheiros até a morte do ator, aos 57 anos, em 1957. Seus trabalhos feitos durante seu último casamento lhe renderam 3 indicações ao Oscar, feito inédito até então, além de ser eleito a maior estrela do cinema mundial pela Entertainment Weekly, em 1996.


+Saiba mais sobre mistérios de Hollywood nas obras disponíveis na Amazon

That Was Entertainment: The Golden Age of the MGM Musical, de Bernard Dick (2018) - https://amzn.to/2vFeDSV

United Artists, de Vários Autores (2020) - https://amzn.to/2V4jnMy

The Fixers: Eddie Mannix, Howard Strickling and the MGM Publicity Machine, de E. J. Flemming (2004) - https://amzn.to/3bLYqvK

Golden Girls of MGM, de Jane Wayne (2004) - https://amzn.to/2u8UJiK

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du