Matérias » Personagem

Cachorro militar e amante pública: Maha Vajiralongkorn, o excêntrico rei mulherengo da Tailândia

Com uma vida pública repleta de bizarrices, o líder chegou a instaurar uma lei para punir pessoas que tentam manchar a sua fama de playboy

Wallacy Ferrari Publicado em 03/05/2020, às 12h00 - Atualizado às 12h34

O rei em fotografia oficial (à esq.) e andando de top em um aeroporto de Munique (à dir.)
O rei em fotografia oficial (à esq.) e andando de top em um aeroporto de Munique (à dir.) - Divulgação

Nomeado príncipe-herdeiro em 1972, aos 20 anos de idade, Maha Vajiralongkorn esperou até os 64 anos para assumir o trono do pai como Rei da Tailândia. No entanto, não deixou de aproveitar o resto de seu tempo, construindo uma fama de playboy no país asiático, repleto de histórias bizarras de relacionamentos, decisões políticas e práticas duvidosas.

A primeira delas já foi alvo de severas críticas no país, após a descoberta de uma traição em seu casamento, prestes a completar 15 anos de união. Soamsawali Kitiyakara é prima do líder foi casada com Maha entre 1977 e 1991, quando soube que, além de ter uma amante, a mesma já teria tido quatro filhos e uma filha frutos desta união.

Ao invés de se desculpar publicamente em relação ao adultério, preferiu oficializar o matrimônio com a amante Sujarinee Vivacharawongse, em 1994. Porém, afirmou que não se deu bem com a mesma e, dois anos depois, além de divorciar, retirou o passaporte e deserdou a esposa e os filhos do sexo masculino, deixando apenas a filha em território nacional. O restante fugiu para os Estados Unidos.

Teve mais um casamento, que durou entre 2001 e 2014, com Srirasmi Suwadee. O príncipe Dipangkorn Rasmijoti, herdeiro de seu trono, nasceu durante esse relacionamento. Porém, em maio de 2019, casou-se com sua guarda-costas um dia antes de ser coroado rei. Rainha Suthida da Tailândia é a atual esposa de Maha, mas não foi a única mulher a ter sido assumida publicamente pelo rei.

Rei da Tailândia junto a atual esposa em cerimônia oficial / Crédito: Flickr / amrufm 

 

Em julho de 2019, o rei nomeou Sineenat Wongvajirapakdi como sua Concubina Real — basicamente, uma amante reconhecida pela corte — para realizar uma união formalizada fora do casamento. A nomeação durou apenas três meses e o título foi retirado pois, de acordo com uma nota divulgada por Maha, a jovem demonstrou um "comportamento desrespeitoso por querer ocupar o papel da Rainha".

Lado fofo?

Anteriormente chamado pela mãe de Don Juan, sua fama não se resume apenas ao cortejo feminino, mas também, à episódios bizarros. No início de seu terceiro casamento, em 2001, tentou reabilitar sua imagem e tentar apagar sua fama de boêmio, fazendo mais aparições públicas e adotando um mini poodle, o Foo Foo.

Em 2007, um vídeo caseiro feito pela família de Maha vazou na internet, revelando uma festa fofa para o aniversário de Foo Foo, no jardim de sua casa. Com arranjos de flores, balões de ar e até um bolo gigante com velas, o vídeo tinha tudo para auxiliar na imagem do então príncipe; se não fosse o fato de que sua esposa estava de topless e fio dental acompanhando o enquadramento do vídeo.

Foo Foo teve um presente ainda maior alguns meses depois, quando o WikiLeaks revelou telegramas diplomáticos de Ralph Boyce, então embaixador dos EUA na Tailândia. O americano descobriu que o poodle havia sido nomeado marechal da Força Aérea tailandesa e chegou a compor a mesa em um jantar de gala organizado pelo líder.

Maha abraçado em seu poodle Foo Foo (à esq.) e em cerimônia com sua esposa (à dir.) / Crédito: Divulgação

 

O cachorro não apenas compôs o evento, como foi assunto principal da noite: “Foo Foo estava presente no evento, vestido com roupas formais de noite completas com luvas de pata, e em um ponto durante o segundo número da banda, ele pulou na mesa principal e começou a lamber os copos de água dos convidados, incluindo o meu”, escreveu Boyce em um relatório.

Em 2015, quando Foo Foo faleceu, Maha fez questão de realizar um grandioso funeral ao bichano, com quatro dias de ritos cerimoniais budistas e em seguida, sendo cremado. No ano seguinte, estampou capas de jornais alemães pelo jeito fashion, quando foi fotografado em um aeroporto, em Munique, usando um top acima da barriga e uma calça jeans baixa, mostrando parte de suas nádegas. Além disso, estava com tatuagens falsas no braço e nas costas. Sem dúvidas, uma das personalidades mais extravagantes da diplomacia mundial.


+Saiba mais sobre o tema em grandes obras dispníveis na Amazon

The Royal Family of Thailand: The Descendants of King Chulalongkorn,  Jeffrey Finestone (1999) - https://amzn.to/38TC0pU

Anna and the King of Siam, Margaret Landon (2016) - https://amzn.to/33n9Xh9

Siams Rural Economy Under King Chulalongkorn, Nabarath Dilok (2000) - https://amzn.to/39VNxGt 

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: