Matérias » América

Conheça Camazotz, o Batman do mundo maia

Com orelhas pontudas e uma máscara, o deus era cultuado há 2.500 anos

André Nogueira Publicado em 27/05/2019, às 10h34

Reprodução gráfica estilística de Camazotz
Reprodução gráfica estilística de Camazotz - Reprodução

2.500 anos antes da DC Comics sequer existir, as pessoas já cultuavam um homem vestindo uma cabeça de morcego, que vivia da noite, com orelhas pontudas e uma capa que formava asas. Entretanto, mais do que um super-herói sem poderes, esse era um deus ligado à morte e aos sacrifícios. Trata-se de Camazotz, o deus-morcego dos maias.

Seu nome significa morcego da morte, pois seus atributos remetem a características do mundo das sombras, da noite e da escuridão. Embora muito se pareça com o nosso homem-morcego, não há indícios de que os criadores do Batman teriam se inspirado na mitologia mexicana para criarem o álter ego de Bruce Wayne.

Estátua de Camazotz, de Honduras / Crédito: Reprodução

 

Camazotz era associado a um deus assassino. Nas poucas descrições conhecidas (representações em pedra, alguns códices maias e o livro Popol Vuh) ele é associado a uma criatura da noite, o mestre dos mistérios que ataca aqueles que invadem o submundo.

Seu culto remete a 200 a.C., provavelmente entre os zapotecas de Oaxaca, cuja cultura material já apresenta um deus híbrido entre homem e morcego e onde o animal já é associado à noite e ao ato sacrificial. Depois, a figura será apropriada pelo panteão quiche, comunidade maia guatemalteca, que aproximou Camazotz ao deus Zotzilaha Chamalcan, associado ao fogo.

Reprodução de imagem maia de Camazotz / Crédito: Wikimedia commons

 

Os templos para sua adoração, em formato de ferradura e apontados ao Oriente, possuíam altares feitos de ouro em que se cultuava o deus e seu poder de poder curar qualquer doença e cortar facilmente o fio da vida que nos conecta com nossas almas.

Uma das principais obras conhecidas dos maias, o Popol Vuh (uma narrativa mítica dos ciclos do tempo, permeada de mitologias, conselhos éticos e descrições da comunidade) descreve Camazotz e sua ligação com o mundo sóbrio das profundezas (o Xibalbá).

Nele, Camazotz é um nome associado aos monstros em forma de morcegos encontrados pelos gêmeos Hunahpú e Ixbalanque em sua travessia e julgamento no submundo.

Lá, os gêmeos são atacados por morcegos monstruosos acompanhados pela figura de um homem-morcego chamado Camazotz.

Máscara de roupa de C. Pacheco / Crédito: Reprodução

 

Em 2014, comemorou-se o 75º aniversário do herói da DC, o Batman. Um designer mexicano, Christian Pacheco, inspirado na confluência entre o mito maia e a figura do herói morcego, criou uma nova roupa ao herói que chamou a atenção nas redes sociais. Nela, Pacheco lembrou ao mundo que o nosso Batman não foi o primeiro Homem-Morcego do mundo, relembrando a todos o Camazotz mexicano e suas semelhanças com o herói.