Matérias » Personagem

Douglas Haig, o Açougueiro de Somme: conheça o general genocida que é lembrado como herói

Comandante das Forças Expedicionárias do Reino Unido, Haig liderou grandes batalhas e levou milhares de soldados britânicos à morte

André Nogueira Publicado em 29/08/2019, às 11h00

None
- Reprodução

Douglas Haig foi um marechal de campo de suma importância na Primeira Guerra Mundial, membro do Exército do Reino Unido e comandante da Força Expedicionária Britânica a partir de 1915. Apesar de suas consideráveis vitórias em campo de batalha, Haig era conhecido como Açougueiro, por sua violenta participação na guerra.

Seus maiores feitos entre 1915 e 1919 foram as vitórias na Batalha de Somme, de Ypres e a Ofensiva dos Cem Dias. No total, mais de 2 milhões de britânicos comandados por ele saíram mortos ou feridos dos campos de batalha e Haig foi um dos principais responsáveis pelas mais sangrentas batalhas da Guerra.

Isso porque Haig era adepto a estratégias consideradas ultrapassadas de guerra. Essas táticas, que normalmente envolviam lançar ondas de soldados, em quantidade massiva, contra o inimigo (o que era superado pela terceirização do confronto pelas armas de fogo), e resultavam num número absurdo de baixas pelo exército vitorioso.

Douglas Haig / Crédito: Wikimedia Commons

 

Uma das batalhas mais sangrentas e atrozes da Primeira Guerra foi comandada por Haig às margens do rio Somme, na França, e rendeu ao general o apelido de Açougueiro de Somme. O escocês lutou ao lado de Joseph Joffre contra as tropas de Erich von Falkenhayn, em 1916. Inicialmente, o ataque britânico, para expulsar os alemães da França, teve como base um ataque maciço de artilharia.

No entanto, logo a batalha se tornou um mar de sangue: como resposta, os alemães começaram a atirar com metralhadoras, e Haig manteve a marcha da artilharia, que saia das trincheiras, até atingir o inimigo. Resultado? No primeiro da de batalha, quase 20 mil britânicos estavam mortos e 30 mil feridos.

Haig / Crédito: Reprodução

 

A batalha rendeu até novembro daquele ano e, mesmo celebrando a vitória, britânicos e franceses sofreram com diversas baixas. Os ingleses, que foram os maiores vitoriosos, em tese, perderam nada menos que 207 mil soldados. Mais que os 170 mil militares mortos do lado da Alemanha.

Haig é reconhecido pelo Exército britânico e por diversos historiadores como um grande general de virtudes únicas, responsável por diversas vitórias. Verdade é que ele foi peça elementar para travessia da Linha de Hindenburg e a rendição alemã e 1918, além da retomada de diversos territórios no coração da Europa que estava na mão do kaiser.

Cápsulas usadas na Batalha de Somme / Crédito: Reprodução

 

Todavia, Douglas Haig foi responsável por atrocidades gigantescas no decorrer da Guerra e pela morte desnecessária de milhões de trabalhadores ingleses pelos quais ele era responsável. O Canadian War Museum comenta sobre ele que "Suas ofensivas épicas, porém caras, em Somme (1916) e Passchendaele (1917) tornaram-se quase sinônimo de carnificina e futilidade das batalhas da Primeira Guerra Mundial".