Matérias » Personagem

Visita 'não muito' desejada: Como foi o dia em que Elizabeth II se encontrou com os astronautas da Apollo 11

Primeiro grupo a chegar na Lua, Aldrin, Collins e Armstrong foram recebidos com festa em diversas partes do mundo. No entanto, o clima não foi tão caloroso assim no Palácio de Buckingham

Wallacy Ferrari/ Atualizado por Fabio Previdelli Publicado em 22/01/2021, às 06h00

Elizabeth ao aldo dos astronautas da Apollo 11
Elizabeth ao aldo dos astronautas da Apollo 11 - Divulgação/YouTube/British Pathé/

Em 1969, poucas pessoas no mundo conseguiam reunir tanta admiração e respeito quanto Buzz Aldrin, Michael Collins e Neil Armstrong — os três membros da missão Apollo 11, promovida pela NASA. O trio foi o primeiro a pisar na Lua, cativando milhares de espectadores pelo mundo na transmissão televisiva da chegada.

Na volta, o prestígio da equipe foi externado em passeatas, eventos e presentes, sendo alguns deles, dados antes da viagem para agraciar os tripulantes. Um dos itens oferecidos aos astronautas resultou em burburinhos nada simpáticos no Palácio de Buckingham; um compartimento contando com diversas cartinhas de chefes-de-estado do mundo todo.

Entre gracejos parabenizando a coragem e resistência dos estadunidenses, um pequeno papel dobrado com uma curta mensagem seria capaz de movimentar um mal-estar na Família Real Britânica.

Mensagem da rainha Elizabeth II os membros da missão à Lua, em 1969 / Crédito: Arquivo Nacional Britânico

 

Escrita em nome de “Sua Majestade Rainha Elizabeth II”, o verbete trazia um elogio aos americanos: “Em nome do povo britânico, saúdo as habilidades e a coragem que trouxeram o homem à Lua. Que esse esforço aumente o conhecimento e o bem-estar da humanidade”.

Sentimento de impotência

De acordo com o The Guardian, a rainha e os funcionários reais pouco se importavam com o feito dos rapazes americanos, apenas agraciando o feito pelo avanço tecnológico histórico.

“Sua Majestade concorda que essa ideia é um truque e não é o tipo de coisa que ela gosta de fazer, mas ela certamente não gostaria de parecer grosseira ao recusar um convite tão obviamente bem-intencionado", chegou a escrever Michael Adeane, antigo secretário particular da monarca, sobre o encontro que aconteceria entre a rainha e os astronautas.

A rainha Elizabeth II reunida com os membros da Apollo 11/ Crédito: Divulgação/Facebook/ESA European Space History

 

Após a recuperação física, o trio passou a excursionar por todo o planeta, realizando desfiles e eventos com diferentes governos. Carismáticos, eles brincavam e saudavam o feito com orgulho, além disso, recebiam condecorações em diversos países — incluindo o Brasil, onde os astronautas foram agraciados com a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul.

Um dos destinos seria, justamente, o Palácio de Buckingham. A visita real poderia servir para inflar ainda mais os ânimos do trio com uma boa conversa com a monarca, mas a visita acabou deixando os astronautas confusos.

Apesar de despreocupada com o feito, Elizabeth II recebeu eles com muita simpatia e bom humor. O contraponto, no entanto, partiu dos filhos da rainha: Edward, o mais novo, cumprimentava com orgulho os ídolos, junto a Charles.

Philip, por sua vez, acompanhava as saudações logo atrás da esposa, vendo os filhos esbanjando alegria com os estadunidenses. Na primeira oportunidade, correu para conversar com os rapazes, abordando até mesmo as esposas dos astronautas.

Neil Armstrong cumprimenta Elizabeth II / Crédito: Divulgação/YouTube/British Pathé

 

Por outro lado, Neil Armstrong quase não foi ao evento, sofrendo com um forte resfriado. Aldrin revelou, décadas depois, em uma rede social, que Collins, mal-acostumado com os eventos fechados, quase tropeçou na escada do palácio ao tentar seguir o protocolo de jamais dar as costas a rainha.


+Saiba mais sobre a Família Real Britânica em obras disponíveis na Amazon:

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Almeida Vieira e Silva Renato (2015) - https://amzn.to/2xTkiGd

O Amor Da Princesa Diana, de Anna Pasternack (2018) - https://amzn.to/2xOZ8c9

A história do século XX, de Martin Gilbert (2017) - https://amzn.to/2yFZMcv

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W