Matérias » Crimes

Georgi Markov e o bizarro caso do guarda-chuva assassino

O jornalista morreu quatro dias depois de sentir uma pontada incômoda na coxa, enquanto esperava um ônibus em Londres

Pamela Malva Publicado em 06/09/2020, às 13h00

Imagem meramente ilustrativa de guarda-chuva e fotografia de Georgi Markov
Imagem meramente ilustrativa de guarda-chuva e fotografia de Georgi Markov - Divulgação/Pixabay/Youtube

O dia 07 de setembro de 1978 começou como qualquer outro para Georgi Markov. Dissidente da Bulgária, o escritor estava a caminho de mais um dia de trabalho na BBC quando sua rotina foi interrompida por algo pouco usual.

Logo no começo da manhã, ele parou seu carro sob a ponte de Waterloo, no centro de Londres, e caminhou até o ponto de ônibus mais próximo. Enquanto esperava, sentiu uma pontada em sua coxa direita.

Estanhando a sensação, Georgi virou-se para trás, a fim de identificar quem o teria cutucado. A única coisa que ele conseguiu ver, no entanto, foi um homem misterioso — que nunca foi identificado — com um guarda-chuva nas mãos fugindo em um táxi.

Fotografia de Georgi Markov / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Inevitável

Naquele mesmo dia, Bernard Riley estava fazendo seu trabalho de rotina no hospital da região quando recebeu um paciente com urgência. Suando, com febre e se queixando de uma dor aguda na coxa, Georgi foi rapidamente internado.

Em entrevista ao programa de rádio Witness, da BBC, o médico lembra que o quadro do paciente era bastante grave. “Sua pulsação estava alta e sua temperatura, também", lembrou Bernard, em 2016.

Ainda bastante lúcido, contudo, o jornalista deu uma dica do que teria acontecido com ele. "A primeira coisa que ele [Georgi] me falou era que tinha sido alertado três meses antes que a KGB queria 'pegá-lo' e que tinha sido envenenado", contou Bernard.

O médico Bernard Riley durante entrevista na época / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Poblemas em casa

Nascido no bairro de Sofia, na capital da Bulgária, Georgi Markov havia sido um influente autor do país, com diversos livros publicados. Com sua imponente trajetória profissional, no entanto, ele também tinha colecionado alguns inimigos.

Em 1971, o dissidente mudou-se para Londres a fim de escapar da fúria das autoridades e acabou apagado do país. Todas os livros que Georgi já havia escrito foram retirados das bibliotecas e livrarias da Bulgária e o nome do autor não foi mencionado pela mídia oficial de sua terra natal até 1989.

Anos mais tarde, quando já era casado com a bela Annabel Dilke e os dois tinham uma filha, Georgi supostamente foi ameaçado pela KGB, o serviço secreto soviético. O medo, é claro, passou a fazer parte da rotina do jornalista.

A bolinha contendo veneno encontrada na pele da coxa de Georgi / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Guarda-chuva e veneno

De volta ao hospital, já febril e com um estado de saúde debilitado, Georgi disse ao seu médico: "Vou morrer. E não há nada que você possa fazer". Para o escritor, aquele era realmente o fim da linha: ele morreu quatro dias depois do suposto envenenamento.

Ainda em entrevista à BBC, o médico Bernard Riley afirma que foi até o necrotério enquanto o corpo de Georgi era examinado. Na ocasião, o legista havia retirado uma parte do tecido da coxa direita da vítima, que estava inchada durante todo o tempo.

"Enquanto analisava a pele, um pequeno objeto metálico se deslocou e saiu rolando pela mesa”. Era uma bolinha de metal de 2 mm de largura com pequenos buracos. "Evidentemente, esses buracos poderiam estar preenchidos com alguma substância".

"Não poderia ser cianureto, nem tálio ou arsênio”, lembra o médico. Não demorou muito, então, para que a causa do óbito do homem fosse descoberta. Com inimigos poderosos e letais, Georgi Markov havia sido morto com ricina, uma substância altamente tóxica que tinha sido injetada em seu corpo através do guarda-chuva.


+Saiba mais sobre a mente de serial killers através de grandes obras

Serial Killers - Anatomia do Mal: Entre na mente dos psicopatas, Harold Schrechter. 2013 - https://amzn.to/37ytKLz

Arquivos Serial Killers. Made in Brazil e Louco ou Cruel, Ilana Casoy, 2017 - https://amzn.to/2QL8gEj

Lady Killers: Assassinas em Série: As mulheres mais letais da história - Em uma edição igualmente matadora, Tori Telfer, 2019 - https://amzn.to/2sLF3kJ

De frente com o serial killer: Novos casos de MINDHUNTER, Mark Olshaker (Autor), John E. Douglas (Autor), Isabella Pacheco (Tradutor), 2019 - https://amzn.to/2sLF73X

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W