Matérias » Nazismo

Há 87 anos, Hitler exterminava inimigos políticos na Noite das Facas Longas

Conheça cinco fatos sobre o expurgo violento do líder nazista com supostos traidores do partido, iniciado neste dia em 1934

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Penélope Coelho Publicado em 30/06/2021, às 11h50

Ernst Röhm reunido ao exército SA
Ernst Röhm reunido ao exército SA - Domínio Público / CC BY-SA 3.0 Deutschland

Na noite de 30 de junho de 1934, o líder nazistaAdolf Hitler organizou, junto a agentes da Gestapo e da Schutzstaffel (SS) uma ação para evitar supostos problemas futuros com membros considerados possíveis opositores — mesmo que ainda fizessem parte do Partido Nazista.

Já considerado uma autoridade notável na organização, Hitler ordenou uma grande operação para matar os supostos traidores, cerca de 85 pessoas, incluindo comunistas, colegas de administração e inimigos antigos que, nos três dias seguintes, foram detidos e executados. O site Aventuras na História separou alguns dos fatos importantes para saber mais sobre o episódio.

Conheça cinco fatos sobre o expurgo nazista com supostos traidores:

1. Antecedentes

No ano anterior, Hitler já havia sido nomeado chanceler e alcançado uma posição de poder no partido após a aprovação da Lei Habilitante pela Reichstag. A medida dava direito a poderes ditatoriais e totalitátios ao líder — que fez questão de investir na militarização.

O investimento resultou um tropas parmilitares diretamente ligadas aos interesses do Partido Nazista, como a Sturmabteilung (SA, algo como Destacamento Tempestade), cujo comportamente se assemelhava a uma milícia de intimidações aos rivais políticos.


2. Virando a casaca

Apesar de ter criado a SA e nomeado Ernst Röhm como capitão da esquadra, as batalhas contra os comunistas não agradaram suficientemente Hitler, visto que o Röhm tinha uma postura diferente de liderança — acreditava na melhor distribuição de renda da população com seu comando, além de acreditar na unificação do núcleo com o Exército Nazista.

Röhm conversando com Hitler, em agosto de 1933 / Crédito: Wikimedia Commons / Domínio Público

 

Röhm também era homossexual, passando a ser tratado como um escandalo contrário ao chanceler. Dessa maneira, Hitler edificou os argumentos para organizar o fim da Sturmabteilung, visto que já haviam eliminado e reprimido os inimigos necessários.


3. Maracutaia para justificar

O estopim para o início do expurgo nazista se deu em 24 de junho de 1934, quando o chefe da SS, Heinrich Himmler, e o chefe de segurança da SS, Reinhard Heydrich, se reuniram para produzir uma falsificação de documentos sugerindo que a tropa de Ernst planejava um golpe contra a própria cúpula do partido.

Dessa maneira, selecionaram os possíveis traidores que deveriam ser eliminados, entregando o arquivo três dias depois a Hitler, que iniciou o planejamento da operação, facilitada pela própria disposição dos combatentes internamente.


4. O dia da caça

O grupo de extermínio se guiou por um plano do líder que organizou uma reunião dos membros da SA em um hotel em Bad Wiessee, na Alemanha, na noite de 30 de junho de 1934. Por lá, chegaram a ser retirados a força de seus quartos e executados ainda no local — mas Röhm obteve outro tipo de tratamento.

Jornal noticia mortes como impedimento de "segunda revolução" / Crédito: Divulgação / Twitter / Frank McDonough

 

O capitão foi detido pelo próprio Hitler, que chegou a gritar "você está preso, seu porco!", como relata o jornal britânico The Times. No dia seguinte, Ernst foi levado para uma sala e teve um revólver entregue para cometer seu suicídio, sendo ordenado a cometê-lo em até dez minutos. Ao recusar, um oficial o executou com um disparo.


5. Números do caos

Até o dia 2 de julho, ao menos 85 pessoas haviam sido mortas — parte compondo a SA, parte de opositores, aproveitando o expurgo para perseguir outros rivais. Além disso, outras centenas foram aprisionadas por membros do partido.

A organização foi reformulada e o comando passado para Victor Lutze, de maneira que ameaçasse qualquer manifestação mínima de aversão ao regime. O nome 'Noite das Facas Longas' foi retirado de uma das canções originais da esquadra.


+Saiba mais sobre o tema por meio das obras disponíveis na Amazon:

Terceiro Reich na história e na memória, de Richard J. Evans (2018) - https://amzn.to/353Tu2w

As mulheres do nazismo, de Wendy Lower (2014) - https://amzn.to/3bwrlDv

A vida secreta dos nazistas, de Paul Roland (2020) - https://amzn.to/2yy0qso

Filhos de nazistas: Os impressionantes retratos de família da elite do nazismo, de Tania Crasnianski (2018) - https://amzn.to/2wWv5iy

Hitler e o nazismo, de Richard Geary (2012) - https://amzn.to/2xThKIe

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W