Matérias » Monarquia

Há exatos 83 anos, o Duque de Windsor se casava com Wallis Simpson, a mulher divorciada que abalou a corte

As polêmicas e a liberdade de Wallis chocaram a família real e a sociedade no Reino Unido, nos anos 1930

Penélope Coelho Publicado em 03/06/2020, às 08h00

Wallis, Duquesa de Windsor e o Duque no dia de seu casamento
Wallis, Duquesa de Windsor e o Duque no dia de seu casamento - Wikimedia Commons

Em 11 de dezembro de 1936, 11 meses depois de subir ao trono como rei da Inglaterra, Edward VIII anunciava que iria abrir mão de seu poder como monarca, em nome de seu amor por uma mulher. Era Wallis Simpson, uma ambiciosa norte-americana que já havia se divorciado duas vezes.

A história de Edward e Wallis voltou à tona quando o príncipe Harry anunciou em 2017 que se casaria com Meghan Markle, que também já havia passado por um divórcio. A comparação entre os dois casais aumentou ainda mais quando Harry e Meghan também decidiram deixar seus deveres como membros do alto escalão da coroa.

No caso de Edward VIII, a decisão parece ter sido ainda mais difícil, quando ele abandonou seu posto de rei, em partes, também perdeu sua família. Mas, afinal de contas, quem foi essa mulher que deixou o Duque de Windsor tão apaixonado a ponto de abrir mão da coroa britânica?

Casamentos polêmicos

Bessie Wallis Warfield veio de uma família americana rica. A mulher conheceu o então príncipe de Gales e herdeiro da coroa, através de um amigo em comum. Wallis era livre e decidida, seus amigos costumavam definir ela como muito espera.

Naquela época, Simpson morava na Inglaterra e era casada com o empresário Ernest Aldrich Simpson. Chocando a sociedade conservadora da época, Ernest não era o primeiro marido de Wallis, e sim o segundo, o que fez com que sua presença não fosse muito bem vista no Reino Unido.

Quando Edward e Wallis se encontraram, nada disso incomodou o príncipe, que apesar de ter fama de mulherengo, ficou imediatamente apaixonado pela mulher. Mesmo assumindo o trono após a morte de seu pai George V, em janeiro de 1936, ele deixou seus parentes avisados de que iria se casar com Wallis, logo que o divórcio da mulher fosse resolvido.

Edward e Wallis em 1936 / Crédito: Wikimedia Commons

 

O rei e a Igreja

As notícias causaram rebuliço, não somente pela questão social que permeava a história, mas, também porque como rei, Edward se tornou o chefe da Igreja Anglicana. A religião não permitia que uma pessoa já divorciada, pudesse se casar mais uma vez.

Mesmo com o peso do mundo em suas costas, o homem estava decidido a manter seu relacionamento. E por isso, abdicou do seu posto de rei, deixando o trono para seu irmão Albert, pai da rainha Elizabeth II.

"Tornou-se impossível suportar o pesado fardo da responsabilidade e cumprir meus deveres como rei, da maneira que gostaria de fazê-lo, sem a ajuda e o apoio da mulher que amo”, afirmou Edward em um pronunciamento, no dia seguinte de sua abdicação.

Só o amor foi suficiente?

Em 1937 Edward e Wallis se casaram. Albert, o então monarca proibiu a volta dos dois para a Inglaterra. Eles permaneceram exilados na França, perderam o título de Sua Alteza Real e ficaram conhecidos como Duque e Duquesa de Windsor.

Longe de tudo e de todos, a vida do casal se seguiu muito solitária, não tiveram filhos. Mas, não deixaram de ter privilégios financeiros e davam diversas festas no palácio onde moravam.

Durante a segunda guerra, se envolveram em mais uma polêmica, o nome deles foi associados aos nazistas. As declarações de Edward apoiando Hitler deixaram os britânicos com uma sensação de desaprovação ainda maior.

Edward e Wallis com Adolf Hitler em 1937 / Crédito: Wikimedia Commons

 

A Duquesa de Windsor ficou conhecida como a vilã da história, como a mulher que deixou um país sem seu rei e ainda fez com que sua família se quebrasse. Após a morte de Edward em 1972, em decorrência de um câncer, Wallis permaneceu sozinha.

Em 1980, ao final de sua vida, ela estava de cama e não recebia nenhuma visita além dos médicos e enfermeiros. A duquesa morreu em 1986, aos 89 anos. Seu corpo foi enterrado ao lado de Edward. Até hoje os dois permanecem juntos, no cemitério real de Frogmore.


++Saiba mais sobre a família real por meio das obras disponíveis na Amazon:

A Real Elizabeth, Andrew Marr (2012) - https://amzn.to/2I62WYs

Elizabeth I - O Anoitecer de um Reinado, Margaret George (2012) - https://amzn.to/2FBPL08

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II, Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2PxUxAW

Queen Elizabeth II: The Biography, University Press (2019) - https://amzn.to/2Tatq1f

A Brief History of the Private Life of Elizabeth II, Michael Paterson (2012) - https://amzn.to/394Qjsq

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du