Matérias » Personagem

O homem que matou mais de 400 nazistas: conheça o soviético Vassili Zaitsev

Figura emblemática entre os franco-atiradores de Stalingrado, o militar aprendeu a atirar com o avô, o que rendeu a perfuração da cabeça de centenas de inimigos

Acervo/André Nogueira Publicado em 14/06/2020, às 09h00

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev - Wikimedia Commons

As habilidades do jovem russo nascido Eliniski têm origem na sua criação: ele era neto de um caçador que o ensinou a manipular o rifle. Trabalhando desde criança como pastor, praticava a caça nos Montes Urais, no interior da URSS em formação.

Em 1937, Zaitsev entrou nas Forças Armadas do país, incorporando a infantaria da Marinha em Vladivostok, no extremo leste russo. Inicialmente, seu trabalho se limitou ao gabinete, mas suas habilidades renderam espaço no esforço bélico com o início da Segunda Guerra Mundial.

Como atirador de elite treinado, foi enviado para Stalingrado depois que a extensa campanha de guerra destruiu a cidade, em 1942, integrando a 284ª Divisão de Fuzileiros. Sob comando de Vassili Chuikov, atuou contra o 6º Exército Alemão, e matou dezenas de nazistas com tiros que perfuravam capacetes, chegando ao status de herói nacional.

Sepultura de Zaitsev / Crédito: Wikimedia Commons

 

Sua arma favorita era o fuzil Mosin-Nagant, com calibre de 7,62 mm. Com esse armamento, ele foi responsável por 225 das mais de mil mortes por sniper que a URSS empreendeu durante a campanha contra Hitler até Stalingrado. Em seguida, o franco-atirador ainda participou de outras campanhas, chegando a um total de 468 mortes de inimigos.

“Ao atingir 100 mortes, tornou-se o foco da propaganda soviética como o expoente máximo da resistência”, relata o especialista Thomas Bruner.

Porém, a participação de Zaitsev na guerra acabou quando, num ataque aéreo de morteiros, estilhaços o cegaram, impedindo a continuidade no cargo. Diante do fato, retornou a Moscou, de onde foi encaminhado para treinar outros franco-atiradores mais jovens do Exército Vermelho. Com o fim da Segunda Guerra, deixou a Marinha e voltou a trabalhar numa fábrica na Ucrânia.

Segundo as memórias que escreveu depois da guerra, onde focou Stalingrado, Vassili “matava quatro ou cinco alemães todos os dias”, sempre com a consciência aprendida com o pai de usar “cada bala com consciência”.

Segundo sua lógica, atacar oficiais menores da Alemanha tinha pouco efeito: “são só tenentes. Se desperdiçamos balas com peixes pequenos, os grandes nunca vão pôr a cabeça para fora.”

Foto rara de Vassili / Crédito: Domínio Público

 

 

O duelo entre ele e um major de nome König foi até retratado no filme Círculo de Fogo. Só não há registros do atirador alemão. O herói russo disse ter enfrentado experientíssimo, cuja posição só foi traída por um rápido brilho da luz do Sol na luneta de seu rifle. Zaitsev aproveitou e disparou em cheio a cabeça do inimigo. Virou lenda.


+Saiba mais sobre a URSS através das obras disponíveis na Amazon:

O último império: Os últimos dias da União Soviética, Serhii Plokhy (2015) - https://amzn.to/37LKIqV

O fim do homem soviético, Svetlana Aleksiévitch (2016) - https://amzn.to/34IqCfj

Do socialismo soviético ao capitalismo russo, Lenina Pomeranz (2018) - https://amzn.to/2qZztKF

As Revoluções Russas e o socialismo soviético, Daniel Aarao Reis Filho (2004) - https://amzn.to/2XZquoP

Barbarossa. A Invasão da União Soviética Pela Alemanha Nazista em 1941, Will Fowler (2015) - https://amzn.to/35JndwE

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W