Matérias » Brasil

Major Olimpio é o terceiro senador brasileiro que faleceu por complicações da Covid-19

Morte do político em decorrência da doença foi confirmada hoje por familiares

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 18/03/2021, às 19h16

Fotografia do senador
Fotografia do senador - Divulgação / Instagram

Foi divulgada nesta tarde de quinta-feira, 18, a morte de Major Olimpio, senador por São Paulo, em decorrência de complicações relacionadas à covid-19. 

O parlamentar já estava internado no hospital São Camilo, no estado de SP, há mais de duas semanas por conta do vírus, tendo sido intubado no último dia 6. Antes da hospitalização, o político de 58 anos participou remotamente via chamada de vídeo da sessão da Câmara que votou a PEC Emergencial. 

Nessa última aparição pública do senador já era possível identificar que Olimpio não estava em seu melhor estado de saúde, com o político mostrando-se sem fôlego durante seu pronunciamento. A informação foi divulgada por uma reportagem do site O Globo. 

Mobilização 

O parlamentar era filiado ao PSL, antigo partido de Bolsonaro, que após receber a trágica notícia cancelou um evento que ocorreria no Congresso Nacional no dia de hoje. 

Fotografia de Jair Bolsonaro / Crédito: Divulgação 

 

Contudo, ele não foi o único a ser abalado: o falecimento do político gerou mobilização por parte de figuras públicas de diversos partidos (inclusive opositores de Major), e o Senado decretando um luto nacional de 24 horas. 

Nas eleições de 2018, Olimpio havia sido o senador mais votado, conquistando um total de 9.039.717 votos. 

Luciano Bivar, que é o presidente atual do PSL, emitiu as seguintes palavras de solidariedade em resposta ao ocorrido: 

“Essa morte precoce do nosso amigo, colega e fraterno Major Olimpio, que sempre esteve ao lado de nossa causa política por um Brasil melhor, deixa todos nós sem chão e só nos resta solidarizar-se com sua família e pedir a Deus que nos proteja em espírito e força para caminharmos sempre juntos em busca dos nossos ideais", escreveu, segundo repercutido pelo UOL. 

Mais um para as estatísticas 

Major já é o terceiro senador a se juntar às vítimas fatais da pandemia no Brasil, que totalizavam 284.775 até o fechamento desta matéria. 

Os últimos dois senadores a falecerem por conta da doença viral foram Arolde de Oliveira, do PSD, e José Maranhão, do MDB. O parlamentar também não foi o único infectado em seu gabinete: outros quatro assessores também estão com coronavírus, com um deles inclusive estando intubado. 

José morreu mais cedo neste ano, em fevereiro, tendo dedicado cerca de sete décadas à carreira política. Ele tinha 87 anos e era o senador mais velho do Parlamento. O senador passou mais de dois meses internado antes de ser derrotado pelo vírus, deixando para trás a esposa, três filhos e dois netos, segundo divulgado pelo G1 na época. 

Arolde tinha 83 anos de idade e faleceu em outubro do ano passado após ter uma falência múltipla de seus órgãos. Ele era militar, engenheiro e economista, e, como Major, deixou esposa e dois filhos para trás, de acordo com o site do Senado. 

Fotografia de Arolde de Oliveira / Crédito: Wikimedia Commons

 

Segundo informações do site Poder 360, antes de sua morte esse terceiro parlamentar havia criticado as medidas de isolamento e defendido o uso de cloroquina no “tratamento” de pacientes com covid-19. 

“Não sejamos idiotas, Na Itália o clima está frio, população idosa, elevado número de fumantes. Não é nosso caso. O Brasil não pode parar.”, escreveu em 19 de abril de 2020 o parlamentar em sua conta do Twitter, fazendo referência à situação crítica enfrentada pelo país europeu na época. Atualmente, é o nosso país que enfrenta um quadro de colapso do sistema de saúde e aumento vertiginoso do número de casos. 

Cerca de um mês antes de sua internação, em fevereiro deste ano, também é válido mencionar que Major Olimpio havia estado presente em uma passeata contrária ao isolamento social na cidade de Bauru. A informação é do UOL.